MUDANÇAS

Avançam as obras de duplicação na Mogi-Dutra

MUDANÇAS Tratores e trabalhadores atuam na abertura da segunda pista da rodovia Mogi-Dutra na obra iniciada após pressão popular e política para a melhoria da segurança dos motoristas da região. (Foto: Natan Lira)

A seis meses do prazo para entrega dos 7,5 quilômetros finais da rodovia Mogi-Dutra (SP 088) duplicados, as frentes de trabalho estão em pelo menos seis pontos da ligação rodoviária entre o entroncamento com a Ayrton Senna (SP 070) com a Presidente Dutra (BR 116). Em alguns trechos, já é possível ver as novas faixas sendo abertas, seja por cima de um morro, ou pela instalação de viaduto.

No quilômetro 33,5 será construída uma passarela para os pedestres atravessarem a via. Neste ponto, as árvores do talude foram retiradas. Um pouco mais à frente, o motorista que segue no sentido Mogi vê ao seu lado direito as máquinas trabalhando na aberta da nova pista, bem como na estabilização do talude.

Quando o motorista chega no quilômetro 34,8, num trecho de declive, antes de começar a descer, foram colocadas diversas vigas de concreto, onde deve ser instalado o viaduto que vai dar acesso ao retorno. Em seguida, já no km 35 está um trecho acentuado de descida, onde várias máquinas trabalham nos dois sentidos, para a construção das vias do retorno. No local também há um condomínio.

Entre os quilômetros 35 e 36, a pista continua a ser aberta e passa também por um trecho rochoso, onde, segundo o Departamento de Estradas de Rodagem (DER), já foram executadas 13 etapas de detonação de rochas, que permitirá a abertura da nova pista, e outras mais são previstas. O aviso é realizado com um dia de antecedência para que os motoristas possam programar a sua viagem, já que há interdição da rodovia. Ao todo, 42.875 mil toneladas já foram retiradas do talude rochoso. Para tanto, foram empregados 8.075 quilos de explosivos.

Na altura do km 37, onde está prevista a implantação do posto de pesagem, a pista está sendo duplicada no sentido Mogi das Cruzes a Arujá, lado esquerdo. O espaço onde o posto será montado já recebeu os serviços de fundação e tubulação.

No Km 38, onde estão sendo construídas as alças e a ampliação do dispositivo existente, a pista será ampliada em ambos os lados de acordo com necessidade geométrica da rodovia. O acesso do Km 38 já atende a entrada para o distrito industrial do Taboão. No acesso à rodovia Ayrton Senna (SP-070) será mantida as saídas já existentes, tanto no sentido São Paulo, como no sentido do Rio de Janeiro. Lá também há uma área grande, destinada ao depósito de materiais.

As intervenções na SP-88 foram iniciadas em setembro do ano passado, apesar do início previsto para janeiro de 2018, com prazo de entrega em 24 meses.

O projeto contempla a duplicação entre os quilômetros 32 e 39, com implantação de barreiras de concreto que dividirão as faixas. Serão construídos dois viadutos para acesso, ambos no km 32, além das passarelas nos quilômetros 33, 35, 37 e 38. A pista também precisará de trabalhos de iluminação e sinalização.

A obra é financiada pelo Banco Mundial – Banco Internacional para Reconstrução e Desenvolvimento (Bird) e executada pelo Consórcio Construcap Copasa. O investimento é de R$ 121,9 milhões.

A duplicação deste trecho da rodovia é aguardada desde 2005, quando a primeira parte foi entregue. A promessa de que a obra seria duplicada foi feita em 2010, mas o primeiro anúncio ocorreu em abril de 2014 e, na época, o investimento seria de R$ 149 milhões. A licitação chegou a ser aberta com previsão de início dos trabalhos em junho do mesmo ano, o que não aconteceu. Em novembro de 2015, o edital foi revogado pelo Estado para a atualização de valores. O processo foi retomado apenas em 2017.

Natan Lira

Natan Lira

Deixe seu comentário