ENTREVISTA

Pandemia cria espaço para avaliar o namoro, avalia psicóloga

IDEIA Casais têm oportunidade de reavaliar a relação, diz Sara Carlos da Silva. (Foto: divulgação)

O isolamento social trouxe desafios aos casais que residem juntos ou não. A convivência 24 horas ou o distanciamento para prevenir o coronavírus trouxeram questionamentos sobre a rotina das pessoas que celebram o Dia dos Namorados, hoje. Também acentuaram mecanismos para o encontro de um novo par, como os aplicativos para relacionamentos. Todos estão à flor da pele, resume a psicóloga Sara Carlos da Silva, professora do Centro Universitário Braz Cubas, e podem usar esse momento reavaliar as relações

Quais são os reflexos provocados pela pandemia no namoro e nas relações amorosas?

A quarentena mudou a rotina dos casais, agora ou a convivência é 24 horas juntos ou estão distantes devido o trabalho ou, ainda existem os cuidados adicionais quando um dos dois que tem que sair de casa para trabalhar ou outra razão. De todo modo, essa mudança de rotina culmina em outros processos, estamos todos à flor da pele, logo os conflitos intensificam, os antigos e os novos. A impulsividade e o autocentramento podem estar mais presentes. As incertezas nos deixam mais confusos, preocupados e o resultado disso depende da maturidade dos envolvidos, alguns terão como reflexo, mais confiança, aproximação, intimidade e outros terão o distanciamento, a solidão mesmo convivendo com o outro, e a falta do compartilhar. O reflexo mais expressivo será então, a reavaliação das relações, do motivo de estarem juntos e dos caminhos que ainda querem trilhar.

Começam a surgir alguns estudos e percepções sobre o fim de relacionamento e até mesmo o aumento no número de divórcios e separações neste período. Como passar, a dois, por esse momento instável?

A quarentena é um momento não só de olhar para fora, perceber nossa sociedade, mas também de olhar para dentro, uma oportunidade de reavaliarmos nossa vida, um processo de reflexão e autoconhecimento. Fazer deste momento tão triste uma oportunidade de crescimento individual como pessoa, esposa (a), filho (a). Compreender nossos sentimentos, e do outro, de forma genuína e amorosa. Sempre é tempo de rever nossas relações e o caminho pelo qual elas têm percorrido. É importante ser um tempo de troca para os dois, que criem rotina e acrescentem nela um tempo para o casal, para dialogarem, expressarem seus medos, angústias e expectativas; realinharem o planejamento conjugal e valorizarem a intimidade dos dois. Compreender que todos estão passando por momentos difíceis, fazendo adaptações, se reinventando, inclusive o cônjuge, por isso é importante, neste momento, compreendermos o que de fato “ do outro e o que é meu”, o que é desdobramento dessa situação tão incerta, o que o casamento já vem carregando há tempos sem solução.

IDEIA Casais têm oportunidade
de reavaliar a relação, diz Sara Carlos da Silva. (Foto: divulgação)

Ferramentas para a aproximação das pessoas, como redes e aplicativos para o encontro de parceiros, registraram aumento de procura. Há uma situação específica que surgiu das lives, transmissões pela internet, feita por cantores, que passaram a ser um ambiente de paquera. Esse tipo de recurso para promover os encontros será tendência nos próximos anos?

Os recursos de “socialização” online estão ganhando espaço, mas eles possuem dois lados importantes, o primeiro é que passa a ser uma ótima rede de aproximação, troca, disseminação de ideias e encontro de pensamentos; com a pandemia utiliza-se muito mais o tempo conversando pelos aplicativos e conhecendo as preferências das pessoas antes de ter um encontro presencial, o outro lado é que o online também pode se tornar um meio de fuga para não entrar em contato com a realidade ou enfrentar os conflitos existentes. Sem dúvidas, cada vez mais, os recursos tecnológicas predominarão na nossa sociedade, os app de paquera economizam tempo para o sujeito que não se expõe no presencial até ter certeza do que busca, auxilia os tímidos e é uma ponte entre as pessoas.

Quais são os pontos positivos e negativos, das relações surgidas no ambiente virtual?

No ambiente virtual as pessoas podem ser quem elas quiserem, e isso requer cuidado dos usuários, a percepção do outro também pode estar prejudicada, pois são apresentadas fotos e rápidos comentários sobre preferências, exaltando ainda mais o aspecto visual, por outro lado, isso permite que o sujeito saia do seu ciclo social para encontrar alguém com quem queira compartilhar a vida. Independente de como começaram as relações elas precisam ser pautadas em comunicação aberta e honesta, compartilhar. Quanto mais autoconhecimento as pessoas tiverem melhor, autoestima é outro fator importante, pois os relacionamentos virtuais podem ser uma fuga da realidade ou uma fantasia do sujeito.

Anteriormente, o namoro era uma etapa anterior ao casamento. Havia, inclusive, o noivado, que hoje também acontece, com a troca de alianças de compromisso. Qual é hoje o papel do namoro, especialmente entre as gerações mais novas?

O namoro é um período de conhecimento do outro, suas limitações, expectativas sobre a vida e relacionamentos, período de “aparar as arestas”, alinhar objetivos e planejar futuro, para dividir uma vida e construir sua família. No entanto, hoje, é muito comum o namoro ocorrer para suprir uma falta, para que a pessoa de alguma forma “se sinta completa”, o que é um grande erro, ninguém deve ser responsável pela felicidade do outro, eles devem individualmente serem completos e felizes e juntos potencializarem isso.

Entre os que já se casaram e se separaram, há uma brecha para a desilusão com os relacionamentos, e a opção por se manter solteiro ou solteira. Gostaria que comentasse essa questão.

Todas as situações as quais passamos na vida deixam lições, as relações amorosas podem gerar a descrença nas relações futuras e a opção pelo celibato. Se faz importante trabalhar este luto, compreender a situação passada e não projetá-la nas relações futuras, assumir sua responsabilidade e seguir em frente. O importante é a pessoa saber quem ela é e quais são seus objetivos assim, as exigências sociais não causarão desconforto.

Como poderão ser os novos relacionamentos diante das regras que exigiram, que cada um ficasse em casa, principalmente, nos últimos meses da pandemia, e que ainda deverão ser um código de conduta até o encontro de uma vacina para o coronavírus?

Por prudência e respeito as pessoas que vivem conosco em sociedade é importante respeitar as orientações oficiais que são divulgadas, mas também é cuidar da saúde mental e o relacionamento faz parte disso. O casal terá que encontrar estratégias assertivas que respeitem as normas, mas que sustentem a relação (videochamada, mensagens, envio de “mimos” online), se fazer presente como for possível, cuidando sempre da sua segurança e do outro. Fazer desse momento a melhor oportunidade de “aproximação” e compartilhar do casal.


Deixe seu comentário