EDITORIAL

A Braz Cubas é nossa

A emoção nos leva a lamentar a transferência do Centro Universitário Braz Cubas, há 79 anos controlado por gente da terra, para grupo empresarial não próximo do nosso cotidiano. O pragmatismo nos leva a aplaudir e mirar o futuro com otimismo.

Surgida há 49 anos em Mogi das Cruzes, a Braz Cubas é daquelas entidades que, no íntimo, sentimos como nossa. Queremos nossa. Ela continua nossa.

Ocorre, com o mercado educacional, fenômeno que atinge vários outros setores do empreendedorismo nacional. Ou alguém ignora que as redes de farmácia ocupam, hoje, espaço das nossas antigas, simpáticas e confiáveis boticas? Onde, hoje, você compra eletrodomésticos? Não esqueçamos dos atuais proprietários de três hospitais de Mogi. Pois as escolas brasileiras seguem igual trilha: ou crescer, ganhar economia de escala, ou sucumbir.

O grupo Educacional Cruzeiro do Sul, que esta semana anunciou a aquisição da Braz Cubas, é exemplo disso: surgido modesto, em 1965, cresceu pelas próprias pernas até onde pôde. Em busca de recursos para sua expansão, passou a recolher capital estrangeiro e abriu mão de 43,5% de seu total para o fundo soberano de Cingapura que, em 2017, injetou R$ 599,8 milhões e viabilizou um programa de aquisições. Hoje, Cruzeiro do Sul figura entre os maiores grupos educacionais do País, ranking liderado por Kroton, gigante que administra 125 campi universitários e abriga as universidades Anhanguera, Unopar, Fama, Pitágoras e Uniderp.

Este ranking inclui a Laureate, rede global de universidades particulares, no Brasil atuando com a Anhembi Morumbi, FMU e UniNorte.

Em relação ao que mais nos interessa, no caso o Centro Universitário Braz Cubas e a Cruzeiro do Sul Educacional, rema com nossa corrente a tradição do novo controlador em preservar a identidade comunitária das instituições adquiridas.

Seus 250 mil alunos de hoje estão matriculados em escolas que mantém a denominação original. É o caso do Centro Universitário Módulo (Caraguatatuba), Universidade Cidade de São Paulo, Universidade de Franca, Centro Universitário da Serra Gaúcha (RS) e outros. Ponto positivo. Como é positivo compromisso estabelecido pela Cruzeiro do Sul de respeitar “as especificidades da região onde estão inseridas” suas escolas.

Contudo, há uma distância entre esse discurso e a realidade: por enquanto, Cruzeiro do Sul Educacional é uma ilustre desconhecida de Mogi.