EDITORIAL

A cidade utópica

“Evitar que, por aqui, ocorram pecados capitais”

A cidade é um ser dinâmico, ela respira por suas áreas desocupadas, alimenta-se da energia de seus habitantes e se desenvolve pela união de tudo e de todos que a fazem viver. Aos que, ainda assim, insistem na visão anacrônica de que tudo está errado na Mogi das Cruzes deste século XXI, sugerimos a leitura da entrevista que publicamos domingo, com o secretário Cláudio de Faria Rodrigues, que cuida da área de Planejamento e Urbanismo na Prefeitura.

A urbe ideal segue utópica, desde os primeiros conceitos surgidos ainda na Roma antiga e algo modernizados nos pós revolução francesa de 1789 e revolução industrial, surgida na Inglaterra na segunda metade do século XVIII.

Houvesse a cidade ideal e a emblemática Brasília, de Lucio Costa e Oscar Niemeyer, não teria, no seu entorno, as cidades satélites que nos remetem aos piores exemplos urbanos da América Latina.

Mas, insistimos aos cavaleiros do apocalipse e os convidamos a percorrer qualquer dos nossos municípios vizinhos. Cheguem a Poá, Itaquaquecetuba e Ferraz de Vasconcelos, antes de um passeio por aqui.

Na Mogi de hoje sugerimos uma volta pelos trechos, já concluídos, da Avenida Perimetral, antes de ir às avenidas Júlio Simões e das Orquídeas. Depois, passeie pelas avenidas duplicadas do bairro do Mogilar e pela Narciso Yague Guimarães, antes de ir ter ao condomínio Bella Citta, nas terras antes ocupadas pela Fazenda Rodeio, em César de Souza. Sem esquecer, é claro, da Mogi-Dutra e Mogi-Bertioga.

Sim, já dissemos – e repetimos – que a cidade ideal ainda é utópica. Mas, guardadas as devidas ressalvas, Mogi das Cruzes, neste 2019, pode ser citada como exceção na barafunda do seu entorno.

Daí a sugestão para que se leia a entrevista do secretário de Planejamento e Urbanismo, na qual ele traça uma síntese do novo Plano Diretor de Mogi. Nele não há arroubos, pelo contrário, muito pragmatismo para definir o que se pretende da Mogi do futuro e como evitar que, por aqui, ocorram pecados capitais.

Deixe seu comentário