A grande lição para o Brasil

Os últimos acontecimentos políticos e, principalmente, os indicadores econômicos, permitem nos pensar que só mesmo um milagre para tirar o Brasil da situação em que se encontra num curto prazo. Enquanto o Senado decide se vai seguir ou não com o processo de impeachment da presidente, a esperança gira em torno dos acordos, alianças, planos e propostas alicerçadas pelo vice-presidente para assumir o governo. Será ele, então, o santo milagreiro?Vamos com calma porque ainda tem muita água para passar debaixo da ponte. Como será a governança com Michel Temer? Desculpa o trocadilho, mas não é temeroso apostar tudo em Temer? A corrente contrária a ele vai deixá-lo governar o Brasil como é preciso? Ele vai atender às reivindicações e não aumentar os impostos? Etc., etc., etc.?
São muitas as perguntas para as quais ainda não temos respostas e não podemos ser ingênuos de achar que todos os problemas serão resolvidos rapidamente. Ainda teremos muitas, e enormes, dificuldades pela frente, principalmente se a atuação dos nossos representantes políticos continuar respaldada apenas na ânsia de poder e de vantagens e não no futuro do Brasil.
Infelizmente, foi isso o que vimos no dia 17 de abril. O impeachment passou, mas a cada voto os discursos eram dedicados ao pai, a mãe, aos filhos dos nossos deputados e nunca ao povo brasileiro, não aqueles trabalhadores que investiram suas economias em ações da Petrobrás pensando em garantir um futuro mais tranquilo e viram a grande potência virar o que virou, o maior escândalo brasileiro de corrupção dos últimos tempos.
É o que temos visto também com as declarações dos políticos de esquerda, que ameaçam não deixar o Temer governar caso a presidente Dilma Rousseff seja mesmo afastada do cargo. Isso é estar preocupado com o Brasil? É estar preocupado com as centenas de empresas que fecharam as portas e os milhares de desempregados que temos hoje? Nos aposentados, que trabalharam a vida toda e agora o beneficio não dá para comprar nada? Com certeza não.
A única certeza que esperamos ter é a de que tudo isso sirva como lição para nós brasileiros. A lição de que o Brasil precisa ser maior do que a vaidade e a ganancia dos nossos governantes e de que precisamos demonstrar isso nas eleições que virão. Caso contrário, continuaremos a pagar o preço atual – caro, extremamente prejudicial e sem futuro para os brasileiros.

José Francisco Caseiro é diretor do Sistema Fiesp/Ciesp no Alto Tietê


Deixe seu comentário