INFORMAÇÃO

A lei foi aprovada. Mas a farra de fios e cabos ainda persiste

Legislação prometia acabar com os abusos que ainda ocorrem

Pouco ou nada adiantou a aprovação pela Câmara do projeto de lei que dispunha sobre padronização, alinhamento e identificação da fiação aérea no município de Mogi. Quando se pensou que a nova lei, já sancionada pelo presidente da Câmara, Sadao Sakai (PL), pudesse se transformar em um importante instrumento destinado a coibir os abusos cometidos por empresas de eletricidade e operadoras de televisão a cabo, telefonia fixa, internet e outros serviços, com possibilidade até mesmo de aplicação de multas a quem não cumprisse as regras estabelecidas na legislação, eis que praticamente nada aconteceu. Pelo contrário, a situação dos fios e cabos dependurados em postes ou espalhados por ruas da cidade só aumentou nos últimos tempos. Basta um passeio pelas vias do centro da cidade ou por alguns bairros mais próximos para se notar que as empresas responsáveis pelos abusos não estão dando a mínima atenção para a nova lei. E, pior que isso, parece que a situação só piora a cada dia que passa, sem que os autores da lei deem um mínimo de atenção para o problema e exijam uma fiscalização à altura para coibir esta verdadeira desfaçatez com a cidade, seus habitantes e com aqueles que fazem leis em Mogi. Os instrumentos legais para punir as irregularidades agora existem ao longo de dez artigos da nova lei. Mas parecem não servir para absolutamente nada. Pois as regras não estão sendo cumpridas e a lei parece ter sido esquecida no fundo de alguma gaveta de quem poderia estar fazendo uso dela para resolver de vez tais problemas. Pelo menos era o que prometiam os vereadores autores da lei que parece não estar servindo para absolutamente nada. Até quando isso vai continuar, ninguém sabe, a julgar pelo número de cabos e fios que continuam esparramados pelas ruas. A lei, ora a lei, continua sendo um peso morto na estrutura administrativa da cidade e, pelo que se sabe, sequer foi utilizada para acabar com a farra dos fios e cabos que continuam a poluir a paisagem urbana de Mogi, cada dia mais degradada.

Na Câmara

O bispo diocesano de Mogi das Cruzes, dom Pedro Luiz Stringhini, estará presente na Câmara Municipal, amanhã, a partir das 20 horas, para a sessão solene de lançamento do tema da Campanha da Fraternidade deste ano, que será apresentada hoje, em todas as igrejas católicas de todo o País. Em 2020, o trabalho estará voltado para o seguinte mote: “Fraternidade e Vida: dom e compromisso”.

Fim de folia

Terminado o período carnavalesco, as atenções se voltam para a chegada do mês de março, quando haverá a janela para troca de partidos entre os políticos. Na Câmara, as expectativas se voltam para a saída do prefeiturável Caio Cunha do PV  para o Podemos. Outra troca deverá ser a de Jean Lopes, cotado para deixar o PC do B, pelo qual se reelegeu nos últimos pleitos, por algum partido do grupo do prefeito Marcus Melo (PSDB). Chico Bezerra também poderá trocar o PSB por outra legenda ainda não definida.

Rumores

Nos últimos tempos, vêm se intensificando os comentários sobre a possível saída do ex-deputado Gondim Teixeira do PTB, onde tem sido muito maltratado pelo presidente municipal, Jair Araújo. Aliás, os rumores dão conta também que Gondim poderá recomeçar sua carreira política pela Câmara Municipal, candidatando-se novamente a vereador, cargo que exerceu no início de sua vida pública em Mogi. Eleito, o próximo passo seria tentar voltar à Assembleia, já em 2022.

No gabinete

Fontes bem informadas dão conta à coluna que o manda-chuva do PL e ex-deputado federal, Valdemar Costa Neto, visitou o prefeito Marcus Melo, no final da última semana, em seu gabinete, na Prefeitura. O tema da conversa entre os dois foi mantido no mais absoluto sigilo, até mesmo dos assessores mais próximos. Mas a julgar pelo andar da carruagem, as próximas eleições municipais não ficaram de fora do longo contato entre os dois políticos. A reunião entre os dois teria ocorrido quase no mesmo momento em que o deputado federal Marco Bertaiolli (PSD) anunciou o convite para Henrique Borenstein vir a ser o candidato a prefeito de Mogi pelo seu partido.

Frase

O que acontece no Carnaval, fica no Carnaval.

Versão atual para o antigo ditado, segundo o qual, o “o que acontece em Las Vegas, permanece em Las Vegas”.


Deixe seu comentário