A7 Sportback

Um sedã médio-grande com alto grau de esportividade, conforto e tecnologia é quase que integrante obrigatório de qualquer linha de marca premium que se preze. Mas nem sempre se consegue inovar no design, devido à forma tradicional da carroceria de três volumes.

Foi para fugir da mesmice que a Audi adotou no A7, lançado em 2010, uma “carcaça” mais agressiva e, ao mesmo tempo, atraente. O modelo, que passou por um “face-lift” há dois anos e chegou renovado ao Brasil ano passado, ostenta o visual de um cupê de quatro portas, com a linha do teto formando um arco bem pronunciado que disfarça o terceiro volume do porta-malas. Sai do lugar-comum dos sedãs e ainda ganha um ar de exclusividade. Algo que, na faixa de preço em que atua – beirando os R$ 400 mil na versão Ambition, a de topo -, é mais do que justificável.

Esteticamente, o modelo já inovava com seu longo capô, colunas traseiras esportivas e fluidas e o caimento extremamente forte. Na reestilização, as mudanças mais visíveis ficaram na grade e para-choques redesenhados, além de novas ponteiras do escapamento e faróis.

A carroceria é feita principalmente de alumínio e aços de alta tecnologia e projetada para facilitar o isolamento acústico do modelo. Por dentro, revestimentos em alumínio e couro se destacam em meio a diversos comandos e tecnologias disponíveis para garantir a segurança e o conforto dos passageiros.

De série, o A7 já chega com o Audi Drive Select, que permite mudar o mapeamento do motor e da transmissão, o peso da direção e a rigidez da suspensão, controlada por um tubo auxiliar de gás que injeta mais ou menos material dentro do amortecedor. O ar-condicionado é de duas zonas e automático e a central multimídia conta com câmara de ré, recepção de TV, sistema de navegação, DVD player, Bluetooth e até se transforma em hotspot wi-fi. Os bancos dianteiros são elétricos e com memória e o motorista ainda tem sua vida facilitada pela presença do “head-up” display, que projeta informações do painel de instrumentos no parabrisa. Isso sem contar com um dos principais destaques tecnológicos do A7 Ambition: o controle de cruzeiro adaptativo.

Sob o capô, o motor V6 3.0 TFSI também recebeu alterações que o levaram a passar dos anteriores 300 cv para os atuais 333 cv, com torque de 44,9 kgfm entre 2.900 e 5.300 rpm. O câmbio automatizado de dupla embreagem S tronic, de sete marchas, é de série. Mas trocas manuais podem ser feitas através de aletas atrás do volante, para quem gosta de interagir mais com o motor. (Márcio Maio/AutoPress)


Deixe seu comentário