VÍTIMA DE BULLYING

Adolescente teria dito a colega que cometeria crime em escola de Suzano

Guilherme Taucci Monteiro, de 17 anos, morreu após ataque em Suzano. (Foto: Divulgação)
Guilherme Taucci Monteiro, de 17 anos, morreu após ataque em Suzano. (Foto: Divulgação)

Cerca de três anos atrás, o jovem H.C., de 20 anos, que não quis se identificar, estudou com  Guilherme Taucci Monteiro, 17, um dos assassinos no ataque à Escola Estadual Raul Brasil, em Suzano. Ele afirma que o garoto era alvo constante de bullying. Naquela época, Guilherme usava como exemplo um atentado em uma escola dos Estados Unidos e chegou a afirmar que faria igual.

“Ele sempre teve o cabelo comprido e, por isso, era chamado de coisas como ‘mulherzinha’ e ‘bichinha’. Além disso, ele ficava muito na dele, não gostava muito de se relacionar com as outras pessoas. Quando ele disse que faria igual, eu não acreditei, não dei atenção, até que acabamos nos distanciando. Ficar sabendo que ele tinha feito mesmo foi um susto muito grande”, contou.

H.C. lembrou ainda que quando estudavam na mesma escola, Guilherme costumava circular utilizando um coldre – uma espécie de suporte para carregar armas de fogo pequenas – que também estava usando na hora do crime.