INFORMAÇÃO

Advogado mogiano avalia a crise por troca de mensagens

Luiz Sérgio Marrano diz contatos entre MP e juízes sempre existiram

Ex-secretário municipal de Assuntos Jurídicos e advogado conceituado na cidade, Luiz Sérgio Marrano comentou, em rede social, a crise aberta no governo com a divulgação pelo site Intercept de troca de mensagens entre o então juiz Sérgio Moro e o procurador Deltan Dellagnol sobre questões ligadas à Operação Lava Jato. Polêmico por excelência, o assunto ganha uma avaliação muito pessoal do advogado, que merece ser conhecida pelos leitores desta coluna. Abaixo, a opinião de Marrano:

“Curioso o enfoque que se tem dado ao vazamento das mensagens trocadas entre o ex-juiz Sérgio Moro e o representante do Ministério Público, Deltan Martinazzo Dellagnol. Em toda a minha vida profissional de advogado, o Ministério Público sempre ocupou salas contíguas às dos juízes em todo e qualquer fórum que frequentei, sem que isso fosse considerado uma relação espúria. Naquela época, eles juízes não trocavam mensagens, mas mantinham, na verdade, franca e abertamente, contato com os promotores (alguns com entrada comum de uma sala à outra). Nós, os advogados, nunca tivemos essa relação de proximidade. Isso é histórico. Veja-se, por exemplo, onde tem assento o representante do Ministério Público nas sessões do Supremo Tribunal Federal (e de regra em todos os demais tribunais do País). Nós, os advogados, sempre ficamos “depois da cerca”. Vamos ser hipócritas em não ver que eles tomam, e sempre tomaram, café juntos, antes e durante as sessões. Se um contato de um representante do Ministério Público com o juiz que julgará a causa – sem a presença de advogado – poderá causar algum tipo de nulidade, o certo então é anularmos tudo o que já ocorreu na Justiça criminal e começarmos a refazer tudo de novo. Está me parecendo que se pretende criar, de uma situação absolutamente normal e corriqueira no dia-a-dia do Judiciário brasileiro, em algo absolutamente extravagante e sem sentido. Seja lá o que for acontecer no epílogo de mais esse drama de hora inapropriada – e ponha-se inapropriada nisso -, é certo que deve ser estendido a todas as outras situações congêneres e admitirmos que estivemos a fazer tudo errado outra vez. Quem é que está certo?”

Palpites

Constatações do deputado federal mogiano Marco Bertaiolli (PSD), no dia seguinte à divulgação dos diálogos pelo Intercept: há muita coisa ainda a ser divulgada, com efeitos imprevisíveis para a política; a indicação de Moro para o STF subiu no telhado; a reforma da Previdência pode ser afetada, já que Brasília passou a cuidar prioritariamente dos reflexos da denúncia; o Telegram, usado pelo juiz e promotores para as trocas de mensagens, não é tão seguro, como se imaginava.

TV UMC

A Universidade de Mogi das Cruzes obteve autorização para ocupar o canal 11 da NET para transmissão de programação educativa, a ser produzida por alunos dos cursos de Comunicação Social da instituição. A liberação ocorreu no final de semana e quem sintonizou o canal de tevê a cabo encontrou na tela o logotipo da escola e algumas reportagens dos arquivos da UMC.

Novela

Prevista para ser inaugurada em 8 de março, quando se comemorou o Dia Internacional da Mulher, a Delegacia de Defesa da Mulher de Itaquaquecetuba continua sendo um problema para o delegado seccional de Mogi. Com toda infraestrutura já instalada no imóvel onde funcionava a Delegacia Central de Itaquá, hoje funcionando em nova sede, e com a delegada Luciana Amat já designada, o setor ainda não começou a operar. Motivo: falta de efetivo de escrivães e investigadores.

Eleitores

A redução no eleitorado de Mogi das Cruzes, causada pela anulação dos títulos de quem não justificou ausências nos recentes pleitos, deixou a cidade com 307.290 votantes, que estão divididos da seguinte forma: 96.111 nas 307 seções da 74ª Zona Eleitoral, que abrange o centro e bairros próximos; 66.405 em 202 seções da 319ª Zona, onde estão César de Souza, bairros da Divisa e outros; e mais 144.774 em 414 seções da 287ª Zona Eleitoral, a maior da cidade, que alcança os distritos de Braz Cubas e Jundiapeba, além de bairros como Mogilar, Vila Industrial, Biritiba Ussu, entre outros.

Frase

Existem homens de bem; homens que se deram bem; e homens que são flagrados com bens.

Laurence J. Peter (1919-1990), educador e administrador canadense