INFORMAÇÃO

Advogado propõe boicote aos omissos na luta contra pedágio

Político que se omite na defesa da comunidade não merece ser votado

A abertura da coluna de hoje fica por conta do conceituado advogado trabalhista, Mário Isaac Kauffmann, que sugere medida a ser adotada em relação aos que se ausentarem da luta contra o pedágio na Mogi-Dutra. Com a palavra, Mário Kauffmann: “Caro Darwin: Embora bissexto, ocasionalmente atrevo-me a expor minha opinião a respeito de assuntos que me parecem de interesse de várias pessoas, especialmente quando inspirado pela leitura da tua coluna Informação, assim como ocorreu na edição de hoje (27 de novembro), sob o título “Silentes”. A leitura de hoje lembrou-me de uma modalidade de protesto civil pacífico, mas eficaz, que é o boicote, substantivo do qual deriva boicotagem, que significa “1- Ação ou efeito de boicotar. 2- Social Sanção negativa que consiste em suspender relações sociais, sobretudo econômicas e políticas”, conforme Michaelis – Moderno Dicionário da Língua Portuguesa (Ed. Melhoramentos, 1998). E me inspirou a sugerir que se boicotem, nas próximas eleições, os políticos que se candidatarem a quaisquer cargos – tanto do Executivo como do Legislativo, em todos os níveis – e que se omitirem na defesa dos interesses da população de Mogi das Cruzes, no caso específico da pretendida de implantação de pedágio na ligação Mogi-Dutra, dividindo o Município. Cabe destacar que essa divisão causará despesas e transtornos para aqueles que se dirigem para trabalhar, estudar, buscar assistência ou tratamento médico, assistência religiosa, visitar parentes ou amigos, realizar compras de bens indispensáveis, encarecimento do transporte de produtos industrializados, ou quaisquer outras atividades, quando necessária a passagem de um lado a outro de indesejado pedágio. Abraços, Mario I. Kauffmann.”

Audiências

O deputado mogiano Rodrigo Gambale (PSL) está reivindicando, via Assembleia Legislativa, que a Artesp realize novas audiências públicas para tratar do projeto de concessão do lote de rodovias do Litoral Paulista-Mogi das Cruzes, aquele que inclui a implantação de um pedágio no Km 47 da Mogi-Dutra. O pedido foi encaminhado pela segunda vez, já que não houve resposta à primeira solicitação feita à Agência.

Cobrança

O deputado estadual Estevam Galvão (DEM) aproveitou a presença do secretário da Saúde, José Henrique Germann, na Assembleia, para cobrar uma data para funcionamento do Hospital Estadual de Suzano, construído como uma extensão da unidade de retaguarda do Hospital das Clínicas da cidade. O prédio foi concluído em abril do ano passado e está “há mais de um ano sem atender ao povo”, disse Estevam, que insistiu num encontro pessoal com Germann para tratar do assunto.

Luz rural

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou o reajuste anual da Cooperativa de Eletrificação e Desenvolvimento da Região de Mogi das Cruzes, que terá efeito médio a ser percebido pelos consumidores de 5,84%, sendo 6,12% para os de alta tensão e 5,62% para os consumidores em baixa tensão. As novas tarifas da Cermc serão aplicadas a partir do dia 30 deste mês.

Emergência

A Prefeitura de Mogi assinou com a Funerária Coração de Jesus um contrato emergencial de concessão para execução e exploração do serviço funerário do município. Sem licitação, a contratação tem prazo estipulado de 180 dias, tempo suficiente para que uma nova concorrência pública seja aberta para escolha da empresa que deverá continuar realizando tais atividades na cidade.

Frase

A Câmara está sendo humilhada e ignorada. Mogi está sendo estuprada pelo governador, que está jogando 30 mil pessoas para fora da cidade com essa cerca chamada pedágio.

Péricles Bauab, vereador, médico e pastor evangélico


Deixe seu comentário