DV

Aprendendo a conviver com o poder, em Brasília

O deputado federal mogiano Marco Bertaiolli (PSD) tem aproveitado os primeiros dias de seu primeiro mandato para entender melhor as relações com os inúmeros setores do poder em Brasília. Enquanto busca se integrar com os 35 membros da bancada de seu partido, o parlamentar tem participado de eventos na Câmara Federal, com o encontro com o ministro Sérgio Moro, da Justiça, onde ouviu, em  detalhes, o projeto da Lei Anticrime.

Bertaiolli disse à coluna que já marcou audiência com todos os ministros do governo Bolsonaro para se apresentar e, ao mesmo tempo, se colocar à disposição. Mera formalidade, segundo ele, necessária. A cada um deles, o mogiano oferece um presente: os dois livros de sua autoria que mostram as conquistas nas áreas de Saúde e Educação, durante o duplo mandato como prefeito de Mogi. “É preciso conhecer e entender para se abrir portas; Brasília é relacionamento”, sentencia, antes de falar do encontro com o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, na próxima terça-feira. Hoje, ele antecipa o retorno a Mogi para o período da manhã para se encontrar com o secretário João Octaviano Machado Neto, de Logística e Transportes, com quem almoça e, em seguida, visitará a Estrada da Volta Fria, sua desastrosa ponte, e a Avenida das Orquídeas. Durante a vistoria, pretende mostrar ao secretário o acesso pretendido pelo Taboão junto à Rodovia Ayrton Senna, para atração de novas indústrias. Pretende discutir também obras para concluir a duplicação da MogiDutra, ainda em ritmo lento, e os eternos problemas da Mogi-Bertioga.

“Vamos verificar o que pode ser feito”, diz. Na segunda-feira, dia dedicado ao governo paulista, Bertaiolli terá um encontro com o governador João Doria (PSDB), para discutir pendências de São Paulo junto ao governo central, em Brasília. “Quero ser um correspondente do governo paulista na Capital Federal”, afirma. Uma visita a cada mês já está acertaata com Doria, podendo ter reflexos também na cidade. Bertaiolli considera “dois golaços” o sepultamento do ICMS sobre produtos agrícolas minimamente processados e a adoção de novos horários para o Expresso Leste circular sem baldeação. A propósito, o deputado garante que até o final do primeiro semestre, o trem especial chegará a Mogi em todos os seus horários, sem a troca de composições em Guaianazes.

Mudanças

Mogi das Cruzes poderá ser beneficiada com a decisão da direção do grupo Kimberly-Clark de fechar definitivamente a unidade gaúcha de Eldorado do Sul, onde a empresa produz absorventes, fraldas, guardanapos e papel higiênico. A decisão é parte de um programa de reestruturação global do grupo a ser executado em três anos. A KC informa que vai transferir a produção do Sul para outras fábricas do País. A empresa tem unidades em Camaçari (BA), Suzano e Mogi (SP) e Correia Pinto (SC).

Novidades

Fontes ligadas ao setor empresarial de Mogi das Cruzes garantiram à coluna que a unidade mogiana da KimberlyClark prepara um investimento milionário destinado a praticamente duplicar a produção da fábrica do Cocuera. Contactada, até o fechamento desta edição a empresa não havia confirmado a notícia.

Jubileu

Os 50 anos da instalação da Paróquia do Sagrado Coração de Jesus – hoje Santuário -, no Alto do Ipiranga, serão marcados com a instalação de uma placa de aço escovado no interior do templo, por iniciativa da Câmara de Mogi. A proposta é dos vereadores Cuco Pereira e Mauro Margarido, do PSDB, que apresentaram também votos de aplausos e congratulações pelo Jubileu de Ouro, ao bispo dom Pedro Stringhini e ao padre Doriva Aparecido de Moraes.

Litoral

A mais recente interdição da Rodovia dos Tamoios encerrada ontem pela manhã evidenciou a importância da nossa abandonada Mogi-Bertioga. Mesmo ameaçada por barreiras, a via tornou-se principal opção de comunicação com o Litoral Norte. Ainda que a viagem de uma hora e 10 minutos entre Caraguá e Mogi fosse estendida para quatro horas e meia, muita gente se valeu da alternativa. A propósito: moradores reclamam da falta de uma linha de ônibus entre as duas cidades, uma situação que os políticos simplesmente ignoram.

Não reclama, não: quando um cara quer te fazer de idiota é porque encontrou o material.

Millôr Fernandes (1923-2012), desenhista, humorista, dramaturgo, escritor, poeta, tradutor e jornalista brasileiro

COTIDIANO

MADE IN MOGI
a modelo Lais ribeiro comparece a um evento em Nova York, num look assinado pelo estilista mogiano vitor zerbinato


Deixe seu comentário