CONCESSÃO

Artesp mantém a cobrança de pedágio no projeto

PROTESTO Manifestantes fizeram críticas à proposta de pedágio. (Foto: arquivo)
PROTESTO Manifestantes fizeram críticas à proposta de pedágio. (Foto: arquivo)

Mesmo após políticos e a população de Mogi das Cruzes se mostrarem contrários à proposta da Agência de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp) de instalar uma praça de pedágio no Km 45 da rodovia Mogi-Dutra (SP 088), dentro do pacote de concessão das rodovias do litoral, a agência do Governo do Estado informou ontem que as sugestões ainda estão sendo analisadas. O projeto disponibilizado no site da Artesp, porém, continua com a proposta de cobrança do pedágio.

A reportagem de O Diário questionou a Agência sobre as sugestões apresentadas durante as audiências, se alguma deverá ser acatada. E recebeu a resposta, por nota, informando que o projeto de concessão do Lote Rodovias do Litoral ainda está em fase de formatação, com discussões abertas à população. Durante as quatro audiências públicas foram recebidas contribuições da sociedade civil para o projeto que agora está em fase de consulta pública até o dia 25 de novembro.

“Todas as informações relativas ao pedagiamento, inclusive as localizações das praças de pedágio, refletem o estágio atual dos estudos e ainda podem passar por modificações frente às manifestações formalizadas nas consultas e audiência públicas”, destacou o texto enviado a O Diário.

Durante esse período, a Artesp está colhendo sugestões e respondendo a dúvidas sobre o projeto por meio de seu site www.artesp.sp.gov.br. A análise das contribuições recebidas através das audiências e consulta públicas servirá para o “refinamento do projeto”. Todas as manifestações, críticas e sugestões serão avaliadas para eventual incorporação à proposta.

Ainda em relação à cobrança do pedágio, a Artesp ressaltou que o edital prevê uma série de inovações tarifárias em relação ao pedágio, entre elas o desconto progressivo ao usuário frequente. Essa novidade irá beneficiar os motoristas que utilizam o trecho rodoviário para deslocamentos frequentes. Além disso, o novo modelo garantirá um desconto de 5% para os todos os usuários que optarem pelo pagamento automático (tag eletrônico). Seguindo a nova política tarifária adotada pelo Estado, ressalta ainda que a tarifa por quilômetro deste novo lote de concessão será 23% menor que as dos contratos antigos.

A concessão prevê investimentos de R$ 3 bilhões em obras, além de R$ 2,8 bilhões para a operação e implantação de serviços em 240 quilômetros das rodovias Mogi-Bertioga, Mogi-Dutra, Padre Manoel da Nóbrega e Cônego Domênico Rangoni/Rio-Santos. “Os investimentos poderão ser viabilizados pela tarifa de pedágio, como previsto no Programa de Concessões Rodoviárias do Governo do Estado de São Paulo que fez da malha concedida paulista a melhor do país, de acordo com ranking da Confederação Nacional de Transportes”, diz a Artesp.

Entre as principais obras na SP-88 e SP-98 estão previstas a duplicação de 6,4 quilômetros do trecho de Mogi da Mogi-Bertioga, 1,4 quilômetro de duplicação da Estrada do Pavan, com previsão de entrega em 2022. Serão construídas ainda 17 novas passarelas e travessias também no município, sendo três delas nos quilômetros 59,8, 60,3 e 68,3, trecho urbano, com previsão de entrega em 2026. As demais não têm trecho definido ainda, mas ficarão na extensão da Rota do Sol, que passa pelas avenidas Julio Simões e Perimetral. Uma das passagens está prevista para o cruzamento das avenidas Japão e Álvaro de Campos Carneiro, em Braz Cubas. A implantação dos 22,3 quilômetros de acostamento no trecho de serra, entre os Km 75 e 98, também deve ser concluída até 2020, assim como rampas de escape e nova ponte sobre o Rio Guacá.


Deixe seu comentário