CADERNO A

Atividades culturais à distância mobilizam alunos de Mogi

PRODUÇÃO EM ALTA Estudantes do 6º ao 9º ano participam do concurso de fotografia #deixesuaquarentenamaisleve e apresentam propostas de intervenção urbana na cidade. (Fotos: divulgação)

Alunos do Cempre Benedito Ferreira Lopes, na Vila Lavínia, única escola do 6º ao 9º ano da rede municipal de ensino, participam de atividades à distância, que já resultaram em trabalhos interessantes como sugestões de intervenções em espaços da cidade, concurso de fotografias e trabalhos sobre a prevenção ao coronavírus. Estudantes e professores estão interagindo por meio da plataforma Google Sala de Aula, em que são enviadas as atividades semanalmente.

A unidade escolar atende 647 alunos e iniciou as atividades pelo facebook da escola. A diretora Débora Teixeira ressalta o empenho dos professores. “O que me deixou orgulhosa foi a grande disponibilidade dos professores para este meio de ensino, que até então, não fazia parte de nossa rotina. Os professores se mostraram muito criativos em suas aulas, nas produções de seus vídeos e na sensibilidade para o momento difícil que estamos vivendo”, avaliou.

As experiências dos alunos neste período também têm sido o foco dos trabalhos desenvolvidos, como textos sobre o tema, o concurso de fotografia #deixesuaquarentenamaisleve e as propostas de intervenção urbana na cidade. “Achei que ia ser mais difícil, mas quando vi na plataforma estava tudo bem explicado e podemos tirar dúvidas com os professores. Uma das atividades que mais gostei foi um texto sobre a nossa experiência sobre a quarentena”, contou a aluna Melissa Ribeiro da Silva, do 8º ano.

Para os professores este momento também está sendo de aprendizagem. “Tenho gostado bastante da plataforma. É uma experiência nova e temos muito desafios como gravar as videoaulas e deixar a atividade mais interessante para os alunos. É uma ferramenta que está proporcionando uma variedade grande de atividades e os alunos estão gostando”, disse a professora Graziella Ferraris Moro, que leciona Língua Portuguesa para as turmas do 8º ano.

Dos 647 alunos, atualmente apenas 13,8% não acessaram ainda a plataforma. Deste total 22 estudantes não têm acesso a internet e estão realizando as atividades por meio de materiais impressos na escola. “Nosso objetivo é de que todos os alunos participem das atividades, que tem sido feitas com bastante empenho e cuidado pela equipe, não só do Cempre como de toda nossa rede municipal. Solicitamos que as famílias, que ainda não acessaram a plataforma, entrem em contato com a escola para as orientações”, disse a secretária de Educação, Juliana Guedes.


Deixe seu comentário