INVESTIGAÇÃO

Autor de dupla execução é preso em Mogi

Dois homicídios qualificados foram esclarecidos pelo delegado Rubens José Angelo, titular do Setor de Homicídios, e a sua equipe, em Mogi e Suzano. As vítimas David Alves de Barros e Walfrido Francisco Chagas foram mortos a tiros pelos criminosos Jeferson de Souza Santos, o “Lilinho” e Dalvi Messias, mais conhecido como “Cabelo”.

O delegado Rubens disse a O Diário que os crimes tiveram conexão. Davi foi eliminado em 26 de novembro de 2018, às 16h30, na Rua Margareth Sanches Vicco, na Vila Lavínia. “Ele estava na rua conversando com amigos quando chegou Jeferson e já apontado uma arma mandou a vítima e os amigos virarem de costas. Logo após, o criminoso perguntou quem residia na casa de cor branca localizada na esquina. David respondeu que era ele e recebeu tiro na cabeça. Apesar de removido ao hospital, não resistiu.

O outro assassinato foi cometido em 3 de dezembro de 2018., desta vez na Estrada Fazenda Viaduto, no Jardim Casa branca, em Suzano. A vítima Walfrido Francisco Chagas trafegava com a sua motocicleta quando foi alvejado por diversos tiros disparado por Jeferson.

De acordo com Rubens Angelo, “depois de intenso trabalho de investigação e inteligência policial conseguimos identificar os envolvidos nos homicídios. Jeferson foi o autor das mortes e o mandante foi o Dalvi Messias. Eles são integrantes da facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital) estavam com bronca das vítimas Davi e Walfrido porque eles agiam na região e se passavam por membros da organização criminosa”.

A autoridade com a poio do delegado assistente Daniel Miragaia e os seus policiais civis, liderados pelo chefe Marco Antônio, do Setor de Homicídios, requisitaram e obtiveram a prisão temporária dos dois acusados, conforme decisão da Justiça. A equipe prendeu Dalvi Messias e cumpriu mandado de buscas e apreensão na residência ele. Já o cúmplice Jeferson segue foragido.


Deixe seu comentário