CARTAS

Avenida das Orquídeas

A ligação entre Suzano e Mogi das Cruzes, através da avenida das Orquídeas, está quase se concretizando. Um sonho que está para se realizar, valorizando assim o distrito de Jundiapeba, que será um elo entre as cidades.

Vale a pena lembrar que serão 2,3 milhões de metros quadrados de área, pondendo ser aproveitados de diversas formas, em projetos imobiliários, o sonhado núcleo industrial e uma esperada área de lazer, que será muito bem-vinda. Quem sabe, até o Sesc, pois área disponível nós temos.

Uma nova opção residencial e comercial para novos moradores, novos hábitos. Uma nova Jundiapeba. Podemos dizer que as coisas estão acontecendo de maneira contundente e vale a pena também lembrar a valorização do distrito, que receberá um aeroporto particular, que gerará novos empregos para a população, uma ciclovia e uma pista de caminhada.

O progresso avança e, com ele, mudanças e adaptações de costumes, pois nossa rotina será alterada de modo a se comemorar.

Eu, morador de Jundiapeba, parabenizo a todos os envolvidos: autoridades, imprensa local, moradores, trabalhadores e todos que projetaram, de maneira profissional, esta grande obra, fonte de orgulho e satisfação, que precisa ser comemorada, valorizada, e conservada por aqueles que utilizarão a futura avenida.

Expedito Ubiratan Tobias

Jundiapeba, Mogi das Cruzes

Radares salvam vidas

É preocupante saber que nesta Semana Santa, quando o fluxo de veículos é bem maior, 18 mil km de rodovias federais estarão sem radares porque o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) não renovou os contratos para funcionamento destes aparelhos nas estradas.

Como divulga a imprensa, em São Paulo, onde as estradas estaduais são mais fiscalizadas e têm 924 radares instalados, o número de mortes é menor do que nas estradas federais.

Exemplo de duas estradas com extensão e fluxo de veículos parecidos: na Rio-Santos (SP-55) com 78 radares fixos, nos últimos cinco anos morreram 78 pessoas. Já na Régis Bittencourt (BR-116) no perímetro de São Paulo, com somente 14 radares, ocorreram, neste mesmo período, 113 mortes.

E os próprios motoristas, principalmente caminhoneiros, constatam esse perigo da falta dos equipamentos, porque os radares até pelas multas aplicadas, obriga o condutor do veículo a respeitar o limite de velocidade.

Espero que o presidente Jair Bolsonaro, tome conhecimento dessa situação e tome providências, porque foi insana sua decisão de suspender a instalação de 8 mil radares nas estradas federais. Boa viagem! Feliz Páscoa!

Paulo Panossian

paulopanossian@hotmail.com