Balanço positivo

Mogi das Cruzes passou por grandes transformações na estrutura urbana e na rede de serviços públicos nos oito últimos anos, e se prepara para outras mudanças que ainda estão por acontecer, com o término de intervenções viárias que deverão impactar no ordenamento do trânsito no corredor da interligação Leste-Oeste, entre Jundiapeba, Braz Cubas e a região central.A sete meses do final do mandato, os balanços iniciais da gestão do prefeito Marco Bertaiolli (PSD) ganham peso porque a administração mantém-se ativa com a execução de um pacote de 30 obras e reformas nas áreas de saúde, educação, habitação e saneamento básico, tendo como pano de fundo a crise política e econômica. Desde o final do primeiro mandato, os sinais da desaceleração da economia brasileira reduziram os anteriores picos de arrecadação de impostos. E a Administração Municipal valeu-se do bom relacionamento político e técnico com os governos do Estado e Federal, e principalmente, da boa saúde financeira que goza para obter os créditos públicos para executar as principais plataformas do programa de governo.
Em determinados setores, as mudanças foram imediatas, mas continuarão a ser sentidas no futuro porque estruturam setores para melhorar a qualidade dos serviços públicos e a vida dos mogianos. Exemplos: o fim dos transtornos vividos por milhares de pessoas no entorno do Córrego dos Canudos, com a canalização e a construção dos 20 quilômetros da Avenida Julio Simões, em Braz Cubas, a expansão da rede pública de educação infantil e do Ensino Fundamental, com a duplicação de escolas e creches; e a conquista do primeiro serviço hospitalar municipal, o Hospital Waldemar Costa Filho, no Distrito de Braz Cubas.
Dos serviços em andamento, dois combatem os problemas do trânsito e eram esperados há décadas. O prefeito pretende entregar o primeiro túnel do Complexo Viário Jornalista Tirreno Da San Biagio que reduzirá duas passagem passagens de nível, nas ruas Cabo Diogo e Dr. Deodato Wertheimer, enquanto a Avenida das Orquídeas combaterá a lentidão na Rodovia SP-66.
Ao todo, estão sendo investidos R$ 442 milhões, em financiamentos públicos. Outro impacto dessas obras dizem respeito à pontual geração de empregos na construção civil pública, quando os empreendimentos particulares puxaram o freio de mão, com a queda das vendas. Esses projetos empregam, hoje, segundo o prefeito, 4 mil pessoas e transformam o Município no principal empregado da Cidade, num período em que o desemprego é muito grande junto à iniciativa privada.
Marco Bertaiolli começa a se despedir da Prefeitura e deixa um positivo legado administrativo aos futuros zeladores de Mogi das Cruzes.


Deixe seu comentário