SHOW

Banda Bravaguarda exibe seu ‘folk de garagem’ no Centro Cultural de Mogi

ALTO ASTRAL Pablo Melo (bateria), Danilo e Guilherme Barreto (voz) e Milo Andreo (teclado) prometem um show autoral repleto de sentimentos e energias positivas. (Foto: divulgação)

Em 2009, três amigos concretizavam um sonho adolescente e formavam uma banda. Cinco anos mais tarde, um quarto integrante se juntava ao grupo, que se profissionalizava. Essa é a história da Bravaguarda, banda de “folk de garagem” que se apresenta às 19 horas deste sábado no Centro Cultural, pela programação do aniversário da cidade.

Os primeiros três amigos são de Mogi: Pablo Melo (bateria), Danilo e Guilherme Barreto (voz). Não menos importante, quem chegou depois, vindo de São Paulo, foi Milo Andreo (teclado). O quarteto também toca guitarra, baixo, violão e banjo, numa mistura de rock alternativo, indie, country e folk chamada “folk de garagem”, gênero próprio e repleto de referências nacionais (como Almir Sater, Skank, Vanguart e Supercombo) e internacionais (como The Band, Johnny Cash, Neil Young, The Rolling Stones, Wilco, Alabama Shakes, Dawes e The Beatles).

Com influências como essas, a apresentação de amanhã será formada por “letras simples, porém cheias de sentimentos”, como conta Pablo Melo. “Acreditamos na positividade e falamos das coisas boas da vida, de sempre se superar, de sempre emanar energia positiva e de amor”.

As composições alegres dão vontade de cair na estrada, curtindo uma boa companhia e o vento no rosto. O clima de alto astral fica claro, por exemplo, em ‘Abra Essa Janela’, música mais recente do grupo, que diz: “Abra essa janela e deixe entrar/o sol vai apagar as marcas e te permitir recomeçar”.

O material faz parte de ‘Abra Seus Olhos’, álbum “totalmente independente”, que representa um “trabalho árduo”. “As pessoas têm dado uma resposta bacana para nós, contando que se identificam com as letras e histórias que contamos. Há muitas bandas neste meio, e poder tocas as próprias canções é uma sensação melhor do que somente interpretar”, diz Pablo.

Este feedback positivo vem principalmente de quem vive em São Paulo, já que a banda não se apresentou muitas vezes em Mogi. “Quem nos abraçou por aqui foi a Secretaria de Cultura, já que essa será a segunda vez que tocaremos no Centro Cultural”, conta o baterista, que espera, a partir do show de sábado, “criar um vínculo maior com a cidade”.

Com milhares de execuções no Spotify, as canções da Bravaguarda estão ganhando clipes exclusivos. Aliás, as imagens de ‘Abra Essa Janela’, feitas de maneira colaborativa com os ouvintes do grupo, serão exibidas amanhã no Centro Cultural. “Este é nosso quarto videoclipe oficial, e vamos continuar trabalhando ele até o final do ano. Também estamos começando a divulgar músicas novas e temos feito vlogs para o YouTube”.

Segundo Pablo, o público pode esperar um show com muita “energia positiva”. E quem pode ir? “Pessoas dos 8 aos 80. Tocaremos todas as músicas que já lançamos e também apresentaremos versões dos Beatles, The Black Keys e Os Mutantes. Nossa expectativa é a melhor possível”.

Os ingressos para o show da Bravaguarda custam R$ 10,00 e podem ser adquiridos na própria bilheteria do Centro Cultural, que fica na Praça Monsenhor Roque Pinto de Barros, 360. Outras informações estão disponíveis pelo telefone 4798-6988 ou em facebook.com/bravaguarda.