CARTAS

Barreiras

Em época de campanha eleitoral, estes vereadores, candidatos à reeleição, não pensam na própria segurança, pois se misturam às massas, abraçam, beijam, pegam crianças no colo e por aí vão.

Agora, depois de eleitos, entretanto, eles querem colocar barreira física para separar esta mesma massa no interior da “Casa do Povo”, que não é a “casa deles”.

Por isso, convido a todos a fazerem como eu farei: nas próximas eleições vou dar-lhes um merecido isolamento: não votando nestes, no pleito do ano que vem. E quando vierem com os tapinhas nas costas, façam como eu: repudiem.

Valdete de Siqueira

valdetesaude@gmail.com

Preocupação

Altamente preocupante a manchete da edição de hoje (quinta-feira) deste jornal mostrando que julho foi o pior mês da indústria dos últimos seis anos. Está aumentando o contingente de desempregados na cidade e região, o que pode ter desdobramentos cada vez piores, já que as demissões são sinais evidentes de que as empresas estão reduzindo a produção e que a recessão econômica, se já não estiver entre nós, está batendo às portas do País, cada dia mais sem perspectivas.

Não se vê, da parte do governo federal, medidas mais drásticas e eficientes para a retomada da economia. Liberação de FGTS é só um paliativo. A reforma da Previdência, uma necessidade de médio e longo prazos. E para amanhã, o que esperar do governo? Pouco ou nada, além das patacoadas de sempre, como colocar um fritador de hambúrger na Embaixada dos Estados Unidos e outras do gênero. Medidas concretas para a economia? Esta ainda não apareceram. Não tem pão? Quem comam hambúrgueres… Parece ser esta a nossa vã filosofia de governo.

Claudionor Costabile Godói

clauco2019@hotmail.com

O Diário

O Diário

Deixe seu comentário