CARTAS

Barulho e qualidade de vida

O barulho nosso de cada dia, nos dá hoje uma péssima qualidade de vida.

São tantos diariamente, ainda que cada um a seu tempo e hora, formando um conjunto estressante, perturbador, que reflete na qualidade do sono, na produtividade; afeta física e psicologicamente, um caso de saúde pública.

Latidos, altos volumes de sons, alarmes disparados por horas, as malditas serras elétricas e maquitas, os bate-estacas, obras em geral, a gritaria de alunos e o microfone da escola vizinha, os carros e motos envenenadas, buzinas e por aí vai.

Ninguém merece conviver com essa poluição sonora.

Mas, a meu ver, o que ninguém merece mais ainda é ver a própria administração pública colaborar com mais um transtorno, desrespeitando a Lei do Silêncio e perturbação do sossego.

Qual a lógica da coleta de lixo, em bairro estritamente residencial, ser feita, interrompendo o sono do cidadão, com aquele caminhão barulhento, na madrugada, a zeo hora, 1 hora , 2 horas da madrugada? 

Qualquer possível explicação, cai por terra, diante do desrespeito às leis e ao direito ao descanso que todo cidadão possui.

Já abordei esse assunto, nesse espaço e no governo anterior foi protocolada uma reclamação. 

Pedido de intervenção no caso, para um vereador, também protocolado por este.

Sabe o que aconteceu? Absolutamente nada.

Só mudaram as moscas. Tudo continuou igual. Mas as minhas obrigações, os meus impostos, são pagos pontualmente.

Heloisa A. Martinez
heloisa_martinez@hotmail.com