INSEGURANÇA

Bicicletas lotam praça Francisco Urbano em Braz Cubas; furto é preocupação entre ciclistas

SENSAÇÃO DE INSEGURANÇA Bicicletas são deixadas em praça de Braz Cubas, perto da base da PM, que não funciona mais 24h. (Foto: Eisner Soares)
SENSAÇÃO DE INSEGURANÇA Bicicletas são deixadas em praça de Braz Cubas, perto da base da PM, que não funciona mais 24h. (Foto: Eisner Soares)

Vinte e quatro bicicletas estavam presas a postes e parte do bicicletário da praça Francisco Urbano, no distrito de Braz Cubas, na manhã de ontem. A prática é adotada em sua maioria por moradores de bairros vizinhos à estação da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), que utilizam a bike para ir até a praça, onde a deixam e seguem para pegar a composição logo à frente. No entanto, agora o ciclista leva consigo o medo de voltar e não encontrar mais a bike, já que a base da Polícia Militar que ficava no local não funciona mais em período integral e, em alguns dias, tampouco chega a abrir, segundo os comerciantes da localidade.

Alione Timóteo, de 43 anos, abre a banca de revistas todos os dias às 8 horas. Ela conta que quando chega a maior parte das bicicletas já está na praça, e começam a ser retiradas só no final da tarde. “Eu já vi um homem tentando furtar uma bicicleta aqui, mas ele não conseguiu. Agora que está sem a base, pode ser que esse número de furto aumente. Ficamos todos vulneráveis”, destacou.

O ajudante geral Alexandre Vieira, de 43 anos, é um dos que usa a bicicleta para circular pela cidade. Ele é morador do bairro Vila Nova Cintra e, sempre que vai ao banco ou precisa realizar algum serviço na região central do distrito, ele deixa a bicicleta na praça.

“Precisa deixar ela bem trancada com cadeado, porque falam que está ocorrendo furto. Eu gosto da bicicleta porque eu economizo em não precisar comprar passagem, e ainda faço exercício”, diz.

A maioria das bicicletas disputa os espaços disponíveis ao lado do trailer da Gisele Ferreira Cintra, de 42 anos. Ela diz que eles buscam pelas vagas de lá porque é mais seguro. “A outra parte do bicicletário está escondida, então como sabem que a gente ficava aqui o dia inteiro, deixam aqui, como uma possibilidade de inibir os criminosos”, diz.

Equipes da Administração Regional de Braz Cubas e da Secretaria Municipal de Serviços Urbanos irão até o local para ver as condições de conservação do bicicletário e programar a manutenção, se assim for necessário. Elas também farão uma primeira averiguação com relação à localização do equipamento dentro do espaço público.

A Secretaria de Estado dos Transportes Metropolitanos informou que está liderando processo para conceder as estações da CPTM para iniciativa privada e viabilizar os investimentos necessários em melhorias nas estações, incluindo os bicicletários. Atualmente, são 36 bicicletários ao lado das estações, com 8.687 vagas. Destes, 33 são de responsabilidade da CPTM e todos possuem controladores de acesso.


Deixe seu comentário