EDITORIAL

Boa notícia

Nesta semana, a aprovação do Senado do empréstimo de US$ 69 milhões para a execução do Programa + Mogi Ecotietê dá ritmo ao desenvolvimento do projeto apresentado em dezembro de 2018. Serão realizadas obras de mobilidade urbana e saneamento básico na região do Nova Mogilar, Botujuru e César de Souza.

Logo após passos como a sanção do presidente Jair Bolsonaro, a Prefeitura de Mogi das Cruzes deverá assinar o contrato com a Cooperação Andina para o Fomento (CAF), nome que identifica o Banco de Desenvolvimento da América Latina.

Será o primeiro financiamento internacional obtido pelo governo municipal.

O aval dado pelo Senado referenda a gestão técnica e financeira da Prefeitura de Mogi das Cruzes, e a condição apresentada por ela para arcar com um financiamento desse naipe.

A notícia terá outros reflexos no futuro. Um deles é a experiência vivida para a disputa de outras linhas de financiamentos disponíveis para a América Latina em organismos de fomento ao desenvolvimento.

Outro ponto favorável foi o cumprimento do calendário burocrático e politico durante o período da pandemia.

O + Mogi Ecotietê prevê soluções para problemas urgentes e de impacto diário na vida de milhares de pessoas como os congestionamentos no eixo César de Souza e o centro, além de equipamentos de lazer, como novos parques no entorno da margem do Tietê e a expansão da área do Parque Centenário, e a ampliação da capacidade de tratamento do esgoto lançada in natura no rio.

Já foram iniciadas algumas fases dos licenciamentos ambientais desses projetos e também os preparativos para as futuras desapropriações de terrenos por onde passarão novas avenidas e ciclovias.

A execução desse pacote de intervenções deverá gerar empregos diretos, logo no início. O financiamento impõe prazo para a execução dos projetos feitos pela equipe coordenada pelo arquiteto Claudio de Faria Rodrigues, secretário municipal de Planejamento Urbano.

Ainda mais agora, quanto mais cedo isso acontecer melhor para a cidade começar a movimentar a roda de empregos gerada por qualquer obra pública e qualificar os espaços públicos.

Outro aspecto a ser acompanhado de perto é o estofo financeiro criado para o futuro prefeito: um presente e tanto para qualquer um que venha a ocupar o gabinete onde está hoje Marcus Melo, a partir de janeiro de 2021.


Deixe seu comentário