EDITORIAL

Boas notícias

Quinta unidade de supermercado movimentará empregos na construção civil e no comércio

Anunciado com exclusividade por este jornal, o projeto de expansão da rede de supermercados Alabarce areja o mercado de trabalho da construção civil (mil vagas, em um primeiro momento) e do comércio varejista (250 vagas) e também aciona outros motores com o estímulo e a geração de empregos indiretos, outros negócios e impostos a médio e longo prazo.

A notícia é um sopro de energia e expectativa diante do cenário econômico, que aquece, em particular, os planos para o desenvolvimento econômico e social da cidade, focado na Região Sul do município.

Para nós, a cereja desse bolo está na página do empreendedorismo mogiano em um segmento marcado pela padronização dos produtos e marcas.

Desde a abertura, essa empresa familiar navega muito bem, obrigado, pelas mãos de três jovens irmãos empreendedores, Ronaldo, Rafael e Roberta, acompanhados muito de perto pelos pais, Valéria e Nildo. E marca a trajetória do crescimento de uma marca construída no último quarto de século no período marcado por grandes mudanças nas relações de consumo do comércio varejista nacional, medidas pelo acirramento da disputa do mercado com a chegada dos conglomerados internacionais no Brasil [que fecharam pequenos e médios lojas e supermercados pelo caminho], além da tecnologia da informação.

No primeiro desses dois quesitos, aliás, analistas desse nicho apontam como decisivo para o sucesso deste ou daquele empreendimento em Mogi, o comportamento do consumidor mogiano, um juiz decisivo na escolha sobre onde e com quem comprar.

Profissionais e criativos, os negócios familiares têm conseguido garantir uma competição interessante no segmento cada vez mais padronizado, que está no mesmo barco de negócios como os das áreas de saúde e educação, destacados por nós, neste mesmo espaço, domingo último.

De saída, a quinta unidade do Alabarce movimentará a construção civil e o comércio varejista. A expectativa é de se abrir a quinta loja da bandeira em meados do ano que vem. Uma loja que nasce bem instalada, com um padrão de qualidade já conhecido e a atração de pelo menos 18 novas lojas.

A iniciativa alarga horizontes porque projeta o crescimento econômico da Região Sul da cidade, onde há boa oferta de terrenos para condomínios e novos núcleos residenciais.

A partir desse olhar, o grupo está saindo na frente. O projeto será em localização privilegiada na região da Rodovia Mogi-Bertioga, onde bairros como a Vila Moraes, o Oropó e Caputera demarcam um perímetro de adensamento urbano em planejamento e desenvolvimento. Uma situação que casa, ainda, com outro forte vetor de negócios, o movimento diário e em crescimento de passageiros na estrada que liga Mogi das Cruzes e o litoral.