INVESTIGAÇÃO

Boliviano suspeito de assassinar família no Brasil é detido na Bolívia

Gustavo foi preso na Bolívia no último sábado. (Foto: Divulgação)
Gustavo foi preso na Bolívia no último sábado. (Foto: Divulgação)

Um trabalho conjunto entre as Polícias Civil de São Paulo e da Bolívia resultou na noite deste sábado na prisão do boliviano Gustavo Vargas

Arias, de 36 anos, em Santa Cruz Cruz de La Sierra. Ele está com mandado de prisão decretada pela Justiça de Itaquá por ser acusado de matar a cunhada dele Irma Morante Sanizo, de 38 anos, o seu marido Jesus Reinaldo Condori Sanizo, de 39 anos, e o filho do casal Gian Abner Morante Condori, de 8 anos. A família ligada ao setor de confecções de roupas desapareceu no final de dezembro, dia 23, e os corpos foram encontrados em janeiro em uma casa no Jardim Paineira que servia como depósito de máquinas de costuras em Itaquá; estavam esquartejados e escondidos dentro de sacos de lixo no interior de malas.

O crime teria sido provocado após uma discussão, pois Gustavo ficou insatisfeito com o salário pago por Jesus Reinaldo, o qual era o seu patrão. Depois do sumiço das vítimas parentes e amigos começaram a procurá-los no Brasil e na Bolívia.

Procurado na Bolívia e no Brasil Gustavo Vargas estava sem condições de sobrevivência. Preso, ele foi escoltado à sede da Polícia local e ainda pode nesta semana ser transferido para o Brasil, onde aguardará encarcerado o julgamento por tríplice homicídio qualificado. Problemas financeiros foram a causa da chacina, conforme diz a Polícia, mas Gustavo somente dará detalhes oficiais no momento em que for qualificado, indiciado e qualificado.

Os dois comparsas dele, Miguel Álvaro Bautista Silva e Roberto Kally Javier foram detidos pela Polícia Militar e estão na Cadeia desde janeiro. A dupla participou do crime e também da ocultação de cadáver.