INFORMAÇÃO

“Botão do pânico”, mais segurança para mulheres

Equipamento está sendo testado para ser utilizado em Mogi das Cruzes

A Secretaria Municipal de Segurança Pública iniciou, nos últimos dias, uma série de testes com o aplicativo “SOS Maria da Penha”, desenvolvido por um grupo de especialistas em informática, com objetivo de aumentar a segurança de mulheres ameaçadas e evitar casos de feminicídio. Baixado num smartphone, o aplicativo funciona como uma espécie de “botão do pânico”. Ao notar a aproximação de seu possível agressor, a mulher simplesmente clica no “SOS”, que aciona imediatamente a Guarda Municipal de Mogi das Cruzes, oferecendo dados de georreferenciamento para facilitar a localização da vítima em potencial e a consequente ação da “Patrulha Maria da Penha”. O grupo criado em 2018 pela Prefeitura de Mogi, hoje composto por quatro equipes, com dois guardas em cada uma delas, terá condições de atender, imediatamente, o pedido de socorro da potencial vítima. O instrumento deverá ser utilizado por 442 mulheres mogianas, portadoras de medidas protetivas concedidas pela Justiça, em virtude de ameaças de namorados, maridos ou ex-companheiros. Ainda sem a utilização do aplicativo, a Guarda Municipal já efetuou a prisão de 45 agressores de mulheres na cidade. O “SOS Maria da Penha” foi criado por integrantes de um grupo de desenvolvedores da área de Tecnologia da Informação que estiveram reunidos em Mogi, em janeiro do ano passado, durante o Hackathon da Segurança, realizado no Polo Digital de César. Foi um encontro de pessoas ligadas a startups que se uniram em grupos, formados aleatoriamente, para desenvolver ideias em cima de um tema específico, no caso, a Segurança Pública.

Mudanças

Cotada para ser titular da Delegacia de Defesa da Mulher de Itaquaquecetuba, que ainda não saiu do papel, a delegada Luciana Amat acaba de assumir o comando da DDM de Mogi, em lugar da delegada Valene de Souza Bezerra, que está se aposentando, após 23 anos no mesmo cargo. Com a saída de Valene, sua delegada assistente, Cláudia Brandão, passa a atuar junto à Delegacia Seccional.

Mahindra (1)

A visita do presidente Jair Bolsonaro à Índia, com a promessa de estreitar relações com aquele País, uma das cinco maiores economias mundiais, poderá facilitar a instalação da fábrica de tratores da indiana Mahindra em Mogi. Entre os acordos a serem firmados pelo presidente está o de cooperação e facilitação de investimentos, que aumenta a segurança jurídica para multinacionais no Brasil.

Mahindra (2)

A data do anúncio da vinda da empresa deverá ser decidida na reunião do board da empresa, no próximo dia 5 de fevereiro. Um forte indicativo de que a cidade é mesmo a bola da vez está no site da Tech Mahindra, que diz: “Entidades elogiam decisão da Mahindra Tratores de escolher Mogi das Cruzes para a próxima unidade a ser instalada no Brasil”. Mais explícito, impossível!

No Japão

Mogi Shouji é uma empresa de Kanagawa, no Japão, das áreas de demolição de estruturas e manutenção de trilhos de estradas de ferro. E ao contrário do que se supõe, não possui ligação com a cidade. O nome está ligado a seu fundador e presidente, o engenheiro nissei, Mogi Shinji, nascido em Tomé Açu, crescido em São Paulo, formado pela USP e atual empresário no Japão. Quem conta é a jornalista mogiana, Neide Hayama, na Brasil, revista da Câmara de Comércio Brasil-Japão.

Frase

De onde menos se espera, daí é que não sai nada.

Apparício Fernando de Brinkerhoff Torelly, (1985-1971), o Barão de Itararé, pioneiro do humor político no País


Deixe seu comentário