EXÉRCITO BRASILEIRO

Brigada de Infantaria treina em área de mata de Mogi das Cruzes

APRESENTAÇÃO Na cerimônia de recepção, realizada na avenida Cívica, participaram a tropa, com os veículos e armamento que serão utilizado nos treinamentos. (Foto: divulgação – Ney Sarmento – PMMC)

O Estádio Municipal Francisco Ribeiro Nogueira vai abrigar 350 militares da 12ª Brigada de Infantaria Leve (Aeromóvel), de Caçapava, que passarão por diversas missões em área de mata, na zona rural de Mogi das Cruzes e Guararema, a partir da represa de Biritiba Mirim – cidade onde deve ser concentrada a maior parte das ações. A cerimônia de abertura das atividades aconteceu na manhã de ontem, na avenida Cívica, no Mogilar, com a presença de um helicóptero Jaguar de capacidade para 28 passageiros, que chamou a atenção de quem passava pelo local.

O comandante do 6º Batalhão de Infantaria Leve, Eli Figueiredo Moreira Junior, detalhou que a maioria dos treinamentos deverá ser realizada no período noturno, quando há redução da luz e dos ruídos. “A tropa estará toda em região de mata. Vamos montar uma base aqui em Mogi e outra em Biritiba Mirim. A partir daí, faremos um trabalho de inteligência, com processos de operações. Os pelotões vão recebendo missões e cumprindo”, explicou.

12ª Brigada de
Infantaria Leve está na
cidade para treinar em
área rural. (Foto: divulgação – Ney Sarmento – PMMC)

Ainda de acordo com o comandante, a atividade faz parte do processo de formação das duas turmas que estão na cidade. “No ano passado, uma tropa foi para o Rio de Janeiro e passou 60 dias lá. Ela está aqui porque é um treinamento bem específico e tenho uma Companhia de Efetivo Variável, que entrou este ano e nunca fez este tipo de atividade. O exercício começa com a infiltração da tropa hoje (ontem) e termina na madrugada de quinta-feira”, pontuou.

O prefeito Marcus Melo (PSDB) participou da abertura do evento e lembrou que o convite para Mogi também sediar o treinamento ocorreu durante as tratativas para a corporação participar do desfile cívico-militar do aniversário da cidade, celebrado no mês passado. Ainda segundo ele, a atividade reforça a ligação entre o Aeródromo e os atiradores do Tiro de Guerra.

“Sabemos que as pessoas que passam pelo treinamento no Tiro de Guerra têm um grande aprendizado com disciplina e ordem. Na própria Prefeitura, há secretários que passaram pelo Tiro de Guerra, como o Dirceu Lorena, Marco Soares e o próprio presidente da Câmara, Sadao Sakai”, ressaltou.

Melo defendeu ainda a escola cívico-militar, porque diz que há falta de respeito dos alunos com os professores. Para ele, a estrutura de uma escola militar e, inclusive, a procura são grandes e devem ser fortalecidas no Brasil como um todo.

“Vamos solicitar uma unidade no município e depende da disponibilidade do Governo Federal. A cidade merece e seria muito bom que os alunos tivessem uma formação com aquilo que tem na escola militar: respeito, disciplina e ordem, que se espera de todo brasileiro. A escola seria estadual, porque essa faixa etária não está dentro das atribuições dos municípios”, disse.

Deixe seu comentário