C4 Lounge exibe bom desempenho

Versão equipada com motor turbo THP bicombustível alia o conforto de um sedã médio à esportividade de 173 cv

Os sedãs médios formam uma das categorias de veículos mais sólidas do Brasil. Por mais que a liderança absoluta fique há muitos anos com os japoneses Toyota Corolla e Honda Civic, muitas marcas investem no segmento. É o caso da Citroën, que acredita bastante no potencial de seu representante, o C4 Lounge. Tanto que a marca francesa não se absteve de trazer uma novidade substancial ao modelo no fim do ano passado, pouco mais de um ano depois de seu lançamento, com a introdução do motor turbo THP Flex, que roda também com etanol. A motorização alia desempenho a uma série de equipamentos de segurança e conforto, principalmente em sua versão de topo, a Exclusive.
O propulsor 1.6 litro de quatro cilindros, turbinado e com injeção direta, já era utilizado em modelos da Citroën e da Peugeot, mas foi aprimorado graças à tecnologia bicombustível da alemã Bosch. Com puro etanol no tanque, a potência máxima do C4 Lounge THP subiu dos antigos 165 cv do motor movido apenas a gasolina para 173 cv quando abastecido com etanol. Com gasolina, o ganho foi de um cv. Já o torque máximo se manteve nos 24,5 kgfm e nas mesmas 1.400 rpm, independentemente do combustível que preenche seu tanque. De acordo com as especificações da fabricante, rodando apenas com etanol, o motor é capaz de garantir uma aceleração de zero a 100 km/h em 8,9 segundos e fazer o C4 Lounge alcançar a velocidade máxima de 214 km/h.
As inovações chegaram ainda a outra parte do trem de força, porém de forma mais discreta. O câmbio automático sequencial de seis marchas passou por uma modernização em seu conversor de torque e isso, de acordo com a Citroën, contribui agora para a redução de até 7,5% no consumo de combustível em relação ao 1.6 THP movido a gasolina. Essa transmissão adiciona ainda a função RDT, de Redução De Tração. Ela ajuda a diminuir as vibrações em marcha lenta quando o carro está em movimento. Um avanço que beneficia os motoristas que enfrentam o trânsito cada vez mais engarrafado das metrópoles nacionais.

A lista de itens de série da versão Exclusive é bem extensa. Além do câmbio automático sequencial de seis velocidades, a configuração de topo do C4 Lounge já vem de fábrica com ar-condicionado automático digital bizone, central multimídia com CD/MP3 e comandos no volante, navegador GPS e tela colorida de sete polegadas, airbags frontais, laterais e de cortina, controles eletrônicos de estabilidade e de tração, retrovisores externos rebatíveis eletricamente, soleiras cromadas, sensores de obstáculos dianteiros e traseiros com indicação gráfica e sonora, câmara de ré, sistema “keyless” e botão “start/stop” para dar a partida no motor. O teto solar, que no lançamento era oferecido como opcional, está sendo entregue a custo zero nas configurações realizadas no site oficial da marca.
Pelo pacote, a Citroën cobra R$ 89.490. A cor branca perolizada da versão testada adiciona mais R$ 1.890 na conta – tons metálicos saem por R$ 1.490. O preço esbarra na versão de topo do Honda Civic, a EXR, que custa R$ 88.400. Mas fica bem abaixo dos R$ 96.330 cobrados pela Toyota por seu Corolla Altis. De qualquer forma, na briga entre os sedãs médios no Brasil, só o Volkswagen Jetta turbinado tem mais força que o C4 Lounge. (Márcio Maio/AutoPress)


Deixe seu comentário