Câmara cobra do Estado posição sobre o PS do Luzia

Legislativo quer explicações sobre possível fechamento do PS do Hospital Luzia de Pinho Melo  Foto: Arquivo
Legislativo quer explicações sobre possível fechamento do PS do Hospital Luzia de Pinho Melo Foto: Arquivo

LUCAS MELONI
Em meio à onda de boatos sobre o possível fechamento do pronto-socorro do Hospital das Clínicas Luzia de Pinho Melo, no Mogilar, a Câmara Municipal de Mogi das Cruzes aprovou nesta quinta-feira (), durante sessão ordinária, um requerimento para cobrar explicações do Governo do Estado em relação ao assunto. Os vereadores lembraram que o centro hospitalar é referência para atendimento a moradores de Mogi, Biritiba Mirim, Salesópolis e Guararema, entre outras cidades, e, caso o encerramento ocorra, a emergência da Santa Casa de Misericórdia, custeada com recursos municipais, teria que absorver a demanda.

A suposta mudança, em fase de estudo pela Secretaria de Estado da Saúde, teria sido comunicada ao deputado estadual Luiz Carlos Gondim (Solidariedade), em audiência com o secretário de Estado da Saúde, David Uip, no fim do ano passado. Esta não é a primeira vez que o Governo do Estado avalia uma reestruturação no mais importante e movimentado hospital estadual do Alto Tietê.

O fechamento vai sobrecarregar as unidades municipais, que já estão com excesso de demanda, devido à crise financeira. A recessão está obrigando dezenas de famílias a deixar de pagar o plano de saúde, migrando para o atendimento público”, disse Chico Bezerra (PSB).

O presidente da Casa, vereador Carlos Evaristo (PSD), sugeriu a Bezerra, presidente da Comissão Permanente de Saúde, que convoque uma audiência pública para tratar do caso. Fiquei indignado. Não é a primeira vez que essa conversa surge. A oncologia está para começar há anos. A pediatria, o Governo do Estado empurrou para o Município. Várias cidades vizinhas não têm PS. Quem vai pagar? O cidadão mogiano. Vamos fazer barulho”, afirmou Mauro Araújo (PMDB).

Procurada, a Secretaria de Estado da Saúde negou o fechamento. “Mais uma vez, esclarecemos que é completamente falsa, descabida e sem sentido a informação sobre o suposto fechamento do pronto-socorro do Hospital Luzia de Pinho Melo. O contrato de gestão entre a Secretaria de Estado da Saúde e a Organização Social de Saúde que gere a unidade para o ano de 2017 manteve o volume de atendimentos de urgência e emergência previstos, sem nenhuma diminuição ou restrição”, trouxe a nota.

Outro ponto debatido na sessão foi a demora na entrega do prédio da radioterapia no Luzia. O Estado respondeu a isso também. “Em relação às obras no centro de oncologia do hospital, houve atraso em razão da demora na aprovação do projeto pela Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN), órgão do Governo Federal. Mas elas já estão concluídas. Neste momento os equipamentos estão sendo instalados e passando pela fase de testes. No total foram investidos R$ 20,9 milhões, entre obras e equipamentos, e a inauguração está prevista para o primeiro semestre deste ano”, concluiu.

Executivo
Diante das especulações sobre o possível fechamento do pronto-socorro do Hospital das Clínicas Luzia de Pinho Melo, no Mogilar, o prefeito Marcus Melo (PSDB) ressaltou que não há, por agora, nenhuma confirmação de que o serviço deixe de ser realizado em Mogi das Cruzes.

Está no jornal de hoje (um jornal de Mogi publicou que o Estado não confirma o encerramento das atividades) que isso não vai acontecer. Esta especulação já é antiga, tem um mês, dois meses. Não há nenhuma confirmação por parte do Estado”, comentou com a imprensa.

De fato, há algum tempo discute-se o encerramento das atividades do Luzia. Em parte, comenta-se nos bastidores, porque a Secretaria de Estado da Saúde deseja tornar o hospital uma referência em atendimentos de média e alta complexidade. O problema é que nesta parte do Alto Tietê não há outro centro hospitalar de atendimento para pronto-socorro. O outro hospital é o regional de Ferraz de Vasconcelos, porém, com muita demanda vinda da Zona Leste da Capital. 


Deixe seu comentário