CARRO NA PRAIA

Câmara de Mogi ainda não tem o valor da multa a servidor

O motorista contou que usou carro após ter recebido telefonema alertando que a casa dele no litoral estaria exalando forte cheiro de gás. (Foto: reprodução)

A Câmara de Mogi ainda não estipulou o valor da multa que será aplicada ao motorista Alaércio Aparecido Franco por ter usado o carro oficial para resolver problemas pessoais. Ele foi penalizado com uma suspensão de três dias e terá de ressarcir os cofres públicos pelos prejuízos causados.

A punição foi aplicada pela Comissão de Sindicância, nomeada pela presidência para a apurar as denúncias contra o funcionário que estava usando o veículo quando foi fotografado em Bertioga, estacionado em uma rua da praia de Indaiá, no início do mês passado. O tema teve repercussão e provocou muitas críticas nas redes sociais.

A Procuradoria Jurídica do Legislativo, depois de analisar o resultado das investigações e a punição sugerida pela comissão de sindicância, encaminhou o caso aos departamentos de Recursos Humanos e de Transportes da Câmara para que sejam calculados os valores dos três dias de afastamento que serão convertidos em multa. As contas serão baseadas no salário do motorista, que recebe um valor líquido de R$ 4.461,00. Ele terá de ressarcir também os gastos com o combustível usado para ir até Bertioga.

Na avaliação do presidente da Câmara Municipal, vereador Sadao Sakai (PL), essa pena “foi justa”. Ele acredita que o caso não era motivo para demissão e explica que comissão considerou o histórico do funcionário concursado, que nunca se envolveu em problema desde que foi admitido em 1997, e as justificativas apresentadas por ele. O motorista contou que usou carro oficial para ir até Bertioga após ter recebido telefonema de um de seus vizinhos alertando que a casa dele no litoral estaria exalando forte cheiro de gás.

As fotos divulgadas na internet mostram o veículo cinza, da marca Renault, modelo Sandero, placas DKI 7828, de Mogi das Cruzes, estacionado na rua dos Jornalistas, 99. O carro presta serviço ao vereador Marcos Furlan (DEM), que na ocasião estava afastado por problemas de saúde.