SAÚDE

Campanha de clubes mogianos descobre casos de glaucoma

BALANÇO No total, a equipe de oftalmologistas atendeu 168 pacientes no evento do Lions Clube. (Foto: divulgação)
BALANÇO No total, a equipe de oftalmologistas atendeu 168 pacientes no evento do Lions Clube. (Foto: divulgação)

Dois casos de retinopatia diabética e dez casos de glaucoma foram identificados pela equipe médica da Clínica Fonçatti, no último sábado, durante exames realizados em 168 pessoas participantes do projeto social promovido em conjunto pelo Lions Clube de Mogi (Centro, Estância, Itapety e Braz Cubas).

“Os casos foram identificados em pessoas que não sabiam ser portadoras dessas doenças, as quais, a partir de agora, poderão iniciar tratamento para controlar e evitar o agravamento desses problemas”, afirmou o coordenador de Desenvolvimento de Programas de Liderança do Lions, o mogiano Paulo Rogério.

O médico oftalmologista Carlos Fonçatti também considerou positivo o resultado do trabalho feito em parceria com os clubes de serviço da cidade. Ele lembrou que esses problemas nos olhos são considerados “doenças silenciosas”, que só se manifestam de maneira mais evidente quando alcançam um determinado estágio, muito próximo de levar seu portador à cegueira.

Por isso, a importância de se realizar tais exames em pessoas com mais de 40 anos, que são as mais suscetíveis a tais problemas.

O glaucoma, também conhecido como “pressão alta nos olhos”, é caracterizado pelo excesso de líquido no interior do olho, o que comprime o nervo ótico contra a parede interna do globo ocular, com serias implicações para a visão, caso não ocorra o tratamento que leva ao esvaziamento progressivo das vistas.

A pressão ocular média deve ser de 10 a 20mm/Hg (milímetros de mercúrio). À medida que a pressão se eleva, há o risco de levar à perda da visão. Somente quando a pressão ultrapassa os 28 mm/Hg e que o paciente começa a sentir dores nos olhos, primeiros sintomas claros da existência do glaucoma, cujo tratamento é feito à base de colírios, que ajudam a esvaziar o líquido que pressiona o interior dos olhos. “Cirurgias, só em último caso”, diz Fonçatti.

A retinopatia diabética é um problema que afeta os olhos de pessoas diabéticas. O diabetes descontrolado afeta também os olhos, que possui muitas artérias e veias. O comprometimento vascular leva à retinopatia diabética, tratada com injeções e aplicações de laser.


Deixe seu comentário