Candido vai disputar o governo estadual | O Diário de Mogi
INFORMAÇÃO

Candido vai disputar o governo estadual

SALA SãO PAULO Romildo Campello, Marcus Melo e Mateus Sartori durante a apresentação da Orquestra Sinfônica Jovem de Mogi. (Foto: Ney Sarmento/PMMC)

Objetivo é oferecer um palanque para Ciro Gomes no Estado de São Paulo

Conforme esta coluna já havia comentado, o ex-prefeito de Suzano, Marcelo Candido, será mesmo o candidato a governador do Estado pelo PDT. A decisão foi tomada no último domingo, quando o partido decidiu romper o acordo que mantinha com o governador e candidato à reeleição Márcio França (PSB) e optou pelo lançamento de uma chapa puro-sangue formada pelo geógrafo suzanense que terá como vice a presidente da Associação da Mulher Trabalhista, Gleides Sodré. Tudo isso para assegurar palanque ao presidenciável Ciro Gomes no mais importante Estado do País. Para o presidente nacional do PDT, Carlos Luppi, o partido não poderia ficar a reboque de candidatos que só apóiam o presidenciável Geraldo Alckmin (PSDB). Já para o ex-prefeito de Guarulhos, Sebastião Almeida, membro da executiva federal e candidato a deputado federal, “pela gravidade da crise em que o País se encontra, entendemos que garantir a campanha do candidato Ciro Gomes em São Paulo é uma questão estratégica”. A possibilidade de escolha de Candido como candidato a governador chegou a surpreender muita gente, quando divulgada aqui neste espaço. Houve até quem imaginasse se tratar de uma brincadeira, mas o certo é que o nome do ex-prefeito já vinha sendo avaliado como uma opção, caso a aliança com França não vingasse e o partido decidisse apoiar Ciro Gomes em São Paulo, algo que, a princípio, chegou a passar a uma certa distância do PDT. No entanto, os arranjos de última hora, nos momentos que antecederam à convenção pedetista, acabaram por viabilizar o nome de Candido como opção para a disputa pelo governo paulista. Uma campanha muito difícil para que o suzanense obtenha grandes resultados, mas que lhe dará a visibilidade necessária para o político que sonha em voltar a disputar à Prefeitura daquela cidade dentro dos próximos dois anos. Ao ser escolhido como candidato a governador, Candido avança alguns patamares na estrutura do partido e na vida pública do Estado. Vai defender posições e pontos de vista, além de um programa de governo para o principal Estado da Federação. E deverá dar sustentação ao discurso de Ciro na área estadual, algo um tanto mais delicado e difícil. Um bom exercício para o ex-petista que mudou de lado e conseguiu dar um voo que ele dificilmente conseguiria dentro de seu antigo partido.

Gravíssimo

É delicado ao extremo o estado de saúde do advogado e cartorário Roberto da Silva Pires, 79 anos, internado na noite do último domingo no Hospital Ipiranga de Mogi das Cruzes. Pires passou mal em sua residência e, com sintomas de dores na parte posterior do pescoço, foi levado pelo filho até ao hospital onde registrou-se a ocorrência de um acidente vascular cerebral, que teria sido causado, segundo familiares, por uma leucemia fulminante. O derrame atingiu a cabeça e, posteriormente, o pulmão e outros órgãos, devido à queda acentuada no número de plaquetas no sangue. Seu estado de saúde inspirava cuidados especialíssimos, durante todo o dia de ontem.

Candidato
A Convenção do PR confirmou o que está coluna também já havia antecipado: a candidatura à reeleição do deputado federal Tiririca, que havia anunciado publicamente a sua decisão de abandonar a vida política. O poderoso chefão do partido, Valdemar Costa Neto, conseguiu fazer com que Tiririca voltasse atrás e o encontro homologou sua candidatura. Resta saber se o número será semelhante ao de Marcos Damásio, que busca reeleição à Assembleia. Se isso acontecer, muito melhor para o mogiano que poderá se valer dessa importante ajuda para continuar deputado estadual.

Animação
O candidato a deputado estadual e advogado criminalista mogiano, José Beraldo, assumiu a condição de animador de palanque da convenção do PRP e, ao lado do jornalista Luciano Faccioli, conclamou o auditório presente ao evento a saudar e aplaudir o candidato a governador Márcio França (PSB). Surpreendeu a muita gente mandando abraços a todos, inclusive para a jornalista Sonia Abrahão, e tentou levantar os presentes, aos gritos de “É… Márcio França! É…Márcio França!”, e foi por aí afora…

Gastos restritos
A Justiça Eleitoral já estipulou os limites dos gastos para os candidatos às próximas eleições. Cada candidato a presidente pode gastar até R$ 70 milhões no primeiro turno e mais R$ 35 milhões no segundo. Já os candidatos a governador de São Paulo poderão gastar, cada um, até R$ 21 milhões no primeiro turno e mais R$ 10,5 milhões no segundo. Cada senador poderá usar até R$ 5,6 milhões na campanha, enquanto o deputado federal, R$ 2,5 milhões, e o deputado estadual, R$ 1 milhão. Os números e limites variam de acordo com cada Estado.

Cotidiano

SALA SãO PAULO Romildo Campello, Marcus Melo e Mateus Sartori durante a apresentação da Orquestra Sinfônica Jovem de Mogi. (Foto: Ney Sarmento/PMMC)

Frase
Noventa por cento dos políticos dão aos 10% restantes uma péssima reputação.
Henry Kissinger, ex-secretário de Estado dos Estados Unidos da América