SINDICÂNCIA

Causa de acidente que provocou morte de servidor do Semae é investigada

FATAL Acidente que matou servidor ocorreu durante troca de tubulação. (Foto: arquivo)
FATAL Acidente que matou servidor ocorreu durante troca de tubulação. (Foto: arquivo)

O Serviço Municipal de Águas e Esgotos (Semae) informa que o resultado da sindicância instaurada pela autarquia, para apurar as causas e apontar os responsáveis pelo acidente que deixou um funcionário ferido e provocou a morte de outro servidor, sairá dentro de 30 dias. Os dois foram vítimas de soterramento durante a realização de uma obra de substituição de redes de água e esgoto na rua Joaquim Fabiano de Melo, nas proximidades da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae), na região central da cidade.

O funcionário Salvino Borges Gomes Gonçalves foi retirado do local já sem vida. Antônio Marcos Firmino, apesar de ter sido soterrado, foi resgatado. O sobrevivente ficou internado no Hospital Luzia de Pinho Melo e teve alta depois de alguns dias. O acidente aconteceu no dia 9 de maio.

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores da Administração Pública de Mogi das Cruzes (Sintap), Benedito Francisco de Souza Filho (Ferrugem), disse que entrou em contato com o servidor na última semana e que o estado de saúde dele é bom. Ele ainda está afastado de suas funções porque prefere se manter recluso.

O sindicalista defende “mais investimentos em segurança para evitar riscos de acidentes com trabalhadores”. Ferrugem disse, inclusive, que já cobrou essas providências por parte da Prefeitura Na opinião dele, “a tragédia poderia ser evitada se existisse a preocupação do Semae com aquisição de equipamentos, como no caso de um compartimento chamado “gaiola de proteção” usado em obras com riscos de desmoronamento.

Sobre o processo administrativo, o Semae explica que ainda aguarda a conclusão das investigações por parte da Polícia Civil. O órgão esclarece que a sindicância aberta pela autarquia segue com a apuração, mas prefere não antecipar nenhuma informação. O prazo para um parecer vence dentro de mais um mês, já que são 60 dias, a partir da instauração, datada de 10 de maio, um dia depois do acidente. Técnicos do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (Crea) realizaram uma perícia no local e a Polícia Civil abriu inquérito para apurar o caso.

Ao ser questionado sobre melhorias nos equipamentos e providência que estão sendo tomadas para garantir mais segurança aos funcionários, a assessoria informa apenas que “o Semae segue cumprindo todas as normas exigidas pela legislação de segurança do trabalho, como já fazia antes do acidente”. O sindicato cobra mais investimentos nessa área para afastar riscos de

De acordo com o Semae, as obras continuaram normalmente e a substituição de redes já foi concluída. Porém, ainda estão em andamento os serviços de melhoria da acessibilidade naquela região. A previsão é concluir o projeto em agosto.