ATUALIZADO

Chefe de divisão da Prefeitura de Mogi das Cruzes é preso por suspeita de desviar mais de R$ 1 milhão em dois anos

NA CADEIA O agente policial Duílio Donizete, ao fundo, conduz o funcionário público José Luiz Jurioli Filho, suspeito de desvio de verbas. (Foto: divulgação - TV Diário)
NA CADEIA O agente policial Duílio Donizete, ao fundo, conduz o funcionário público José Luiz Jurioli Filho, suspeito de desvio de verbas. (Foto: divulgação – TV Diário)

Suspeito de desviar mais de R$ 1 milhão dos cofres da Prefeitura de Mogi das Cruzes para a própria conta, entre fevereiro de 2018 e outubro deste ano, o chefe de divisão comissionado da administração municipal José Luiz Jurioli Filho foi preso na manhã de ontem, após a 1ª Vara Criminal de Justiça da cidade acatar a denúncia do Ministério Público e o pedido de prisão preventiva do denunciado. O Diário antecipou o caso na edição de ontem.

De acordo com a denúncia do MP, Jurioli Filho alterava os dados da folha de pagamento do Executivo e enviava ao banco, que fazia o pagamento. Em seguida, ele voltava a alterar o sistema da Prefeitura, a fim de que a fraude não fosse percebida pela contabilidade. O valor era depositado na conta do suspeito a título de salário.

O promotor Kleber Basso disse que o ofício foi protocolizado pela Prefeitura de Mogi na terça-feira, e com a documentação fornecida pela administração municipal foi possível fundamentar o pedido de prisão preventiva do funcionário.

“Fizemos o pedido pela gravidade dos fatos, porque são mais de R$ 1 milhão dos cofres públicos, e também pelo conhecimento que ele tem na alteração dos dados. Então foi pra garantir a lei pública e o andamento da investigação. Recebi informações do delegado seccional de Mogi que ele confessou a prática do crime durante o depoimento que prestou na delegacia”, detalhou.

DETALHES Secretários Dalciane Felizardo e Marcos Regueiro falaram ontem sobre o caso. (Foto: Natan Lira)

Ainda, segundo o MP, o salário integral de Jurioli Filho era de R$ 7,6 mil. No mês de janeiro de 2019, ele chegou a receber quase 10 vezes mais do que isso, sendo R$ 29,8 mil em 4 de janeiro e outros R$ 40,9 mil no dia 18. Outra fraude verificada pela prefeitura e detalhada na denúncia do MP foi no início deste mês, quando em apenas uma transação no dia 4 foi repassado à conta do chefe de divisão R$ 47,7 mil. O valor apurado pela prefeitura durante os últimos 24 meses chega a R$ 1.044.262,63, sendo R$ 207 mil só nos últimos quatro meses. A procuradora-geral da Prefeitura de Mogi, Dalciane Felizardo, explicou que o funcionário foi contratado em agosto de 2017. Ele coordenava a equipe de Recursos Humanos, com capacidade técnica tanto de chefiar os colaboradores quanto de gerenciar o sistema de transmissão da folha de pagamento ao banco. “Esse desvio foi identificado pela Prefeitura. Em uma auditoria irregular, por conta de uma inconsistência do sistema, que foi o fio do novelo, na segunda-feira à noite. Na terça-feira o prefeito foi informado. Num primeiro momento, nós detectamos depósitos na conta que somavam R$ 207 mil. Como esses depósitos não foram autorizados pelo município, já temos aí a configuração de um crime. Levamos ao prefeito e nós dois fomos até o Ministério Público”, diz.

PRESO José Luiz Jurioli Filho desviava o dinheiro desde 2018. (Foto: divulgação)

Segundo Dalciane, o funcionário deverá responder administrativamente e também nas esferas cível e penal. O juiz ambém bloqueou os bens do suspeito, bem como a quebra de sigilo bancário, que vai mostrar o caminho que dinheiro percorreu, e também descobrir se há a participação de algum servidor da prefeitura ou de outra instituição envolvido no caso.

“Foi uma ação audaciosa, inteligente e grosseira ao mesmo tempo. Primeiro porque ele teve a coragem de fazer isso. Inteligente porque são poucas as pessoas que têm capacidade intelectual que ele tem para manusear o sistema, mas, ao mesmo tempo, grosseira, visto que uma hora ou outra os dados seriam cruzados e ele seria descoberto”, pontuou.

O advogado Marcus Antônio Gianeze assumiu o caso do funcionário, mas disse que ainda analisa a denúncia e na próxima semana deverá se manifestar a respeito.

Deixe seu comentário