TEMPORAL

Chuva causa alagamento e apagão em vários pontos de Mogi

Instituito Nacional de Metereologia alerta para risco de enchentes no estado de São Paulo( Foto: Eisner Soares)
Veículos transitaram em meio à água na Avenida Manoel Bezerra de Lima Filho, nas proximidades do Mogi shopping, que ficou alagada durante a chuva. (Foto: Eisner Soares)

Mogi das Cruzes voltou a ser castigada pela chuva acompanhada de granizo que caiu na tarde de ontem, causando alagamentos, queda de árvores e do serviço de energia elétrica em vários pontos da Cidade. O prédio-sede da Prefeitura Municipal, no Centro Cívico teve o fornecimento de energia interrompido por mais de uma hora devido ao temporal, assim como bairros, a exemplo do Rodeio. O piscinão do Parque Santana chegou a oito metros, seu limite máximo. Com isso, 90 milhões de litros de água deixaram de ir para a região central e bairros à jusante do Ribeirão Ipiranga, minimizando o impacto do temporal.

A situação ficou bastante difícil para quem estava em vias como a Avenida Voluntário Fernando Pinheiro Franco, Barão de Jaceguai – principalmente em frente à Santa Casa de Misericórdia -, Coronel Souza Franco, Princesa Isabel de Bragança e Presidente Rodrigues Alves – nas proximidades da Praça da Bandeira -, entre outros pontos da região central, assim como em diversos bairros e nas áreas da Praça Francisca de Campos Mello Freire, no Parque Monte Líbano, do Cemitério da Saudade, em Braz Cubas, e nas avenidas Governador Adhemar de Barros e Anchieta, na Vila Rubens, além do Mogilar.

O túnel sentido Bairro/Centro do Complexo Viário Jornalista Tirreno Da San Biagio registrou acúmulo de água devido a um problema técnico em uma das bombas. Um automóvel parou no meio do acesso e interditou a pista. Com a diminuição da chuva, a água escoou e o trânsito foi liberado.

Na Avenida Pedro Machado, a enxurrada carregou material de uma obra do Serviço Municipal de Águas e Esgotos (Semae), que está em andamento na via, prejudicando o trânsito também na Avenida Prefeito Francisco Ribeiro Nogueira.

Segundo a Coordenadoria de Comunicação da Prefeitura Municipal, a Defesa Civil registrou quedas de árvores na região central, Vila Oliveira, Jardim Camila e Rio Acima. Nestes locais, a retirada da vegetação foi feita pela empresa EDP Bandeirante, Secretaria de Serviços Urbanos e Corpo de Bombeiros. Na Vila Oliveira duas árvores caíram na Avenida Hélio Borenstein, na altura dos números 190 e 898; uma na Rua Luiz da Silva Pires, em frente ao número 360; uma na Sérgio Plaza esquina com Salim Elias Bacach; e outra na Frederico Straube, perto do número 983.

Uma destas árvores, localizada no cruzamento das ruas Otto Unger e Dom Antônio Cândido de Alvarenga, interrompeu o fornecimento de energia elétrica para parte da região central e do Centro Cívico, atingindo a Prefeitura. Com isso, alguns atendimentos telefônicos, como o 153 e 156, foram prejudicados.

Apesar do temporal, a Defesa Civil não registrou vítimas e desabrigados na Cidade.

A EDP confirmou que devido às chuvas com ventos e granizo que atingiram Mogi durante a tarde de ontem foi registrado aumento no volume de ocorrências relacionadas à interrupção de energia em alguns pontos da Cidade, principalmente, por conta da queda de árvores, galhos e outros objetos projetados à rede.

“A distribuidora ressalta que reforçou as equipes técnicas de atendimento, que trabalham continuamente no reparo dos equipamentos e rede danificados. O tempo para a normalização do serviço varia de acordo com a extensão do dano causado à rede elétrica. A EDP atua em parceria com órgãos municipais, Defesa Civil, Corpo de Bombeiros e Polícia para solucionar as ocorrências geradas”, trouxe a nota enviada a O Diário que listava o Mogi Moderno, Jardim Cintia, Centro e as vilas Nova Aparecida, Natal e Oliveira como os bairros mais atingidos pelo temporal.