CARTAS

Ciclofaixas

Em novembro de 2011 entreguei às autoridades responsáveis pela cidade um abaixo-assinado com mais de 800 assinaturas, reivindicando investimentos em espaços públicos para os atletas amadores de rua (corredores, ciclistas, caminhantes, etc.). Este ano irão completar oito anos e, como podemos perceber, as promessas de investimentos não ocorreram. Mínimas coisas foram feitas para proteger-nos dos carros, motos, ônibus, caminhões. Estamos buscando qualidade de vida, mas disputando espaços com veículos o tempo todo.

O atropelamento do ciclista, na Praça do Socorro (13/06), não pode ser visto como uma fatalidade, ou imprudência, e sim como uma tragédia anunciada. Poderia ter sido comigo, com você, com seu filho, sua esposa. Não podemos permitir que este tipo de acontecimento se torne parte do nosso cotidiano. Vejo como falta de interesse e pouco caso. Não basta pintar o asfalto e colocar placas sinalizando “Rota de bicicletas”.

Já passou da hora de investir-se em mais segurança, vamos acordar autoridades de Mogi. Ciclovias apenas em avenidas novas não são suficientes. Queremos mais ciclofaixas em avenidas já existentes. Em algumas já não é mais possível, mas em várias sim.

Uma política voltada para quem busca adquirir saúde nas ruas, afinal de contas, quanto custa uma ciclofaixa?

E quanto vale a vida de um ente querido?

Mauricio Pacheco de Souza

Mogi das Cruzes, SP