INFORMAÇÃO

Cidades se armam contra a violência

Episódios violentos, com os ocorridos recentemente em Suzano e Guararema, começam a ter reflexos junto a algumas cidades que estão armando, cada vez mais, suas guardas municipais para, quem sabe,

enfrentar situações como as que provocaram mais de duas dezenas de vítimas. Enquanto em Mogi, a Guarda trocou os antigos cassetetes de borracha ou madeira por armas de fogo, recebendo novas viaturas e expandindo sua atuação, outras cidades procuram avançar ainda mais. É o caso, por exemplo, de São Sebastião, no Litoral Norte, que decidiu criar um grupo tático especial em sua Guarda Civil Municipal para atuar em situações igualmente especiais. Até aí, nada de muito especial, não fosse o fao de as Rondas Municipais (Romu) utilizar escopetas calibre 12, uma das armas mais modernas e poderosas em uso pela polícia. As escopetas têm operação semi-manual e pump action, um sistema manual de bombeamento para se extrair cartuchos deflagradose realimentar a arma. Quando operaa em modo semi-automático são efetuados disparos sequenciais até que seu carregador, com capacidade para seis ou mais balas, fique vazio. Segundo informa a Prefeitura de São Sebastião, a maior inovação na arma é carregador externo, o chamado “pente”, que facilita a recarga de munição da arma e a torna muito mais rápida, oferecendo menores intervalos entre as cargas. Os efeitos das Rondas armadas dessa forma na redução da criminalidade só deverõ ser sentidos quando o grupo de elite da Guarda Civil entrar em ação, em definitivo. Por enquanto, as Romu deixam a população dividida. Há quem aposte ser um risco muito grande armar os guardas com equipamentos tão poderosos e letais. Mas há também os que não veem outra solução para enfrentar o crescimento da violência junto às pequenas e médias cidades do interior paulista. E entre dúvidas e certezas, espera-se para ver como a tropa de elite litorânea irá atuar com tais armas, que já chamam a atenção de outros municípios. Sinais dos tempos. Sinais do Brasil de Jair Bolsonaro.

Sousa e Porchat

A história de sucesso do desenhista Mauricio de Sousa, desde sua infância em Mogi das Cruzes, até os modernos estúdios da Capital, será contada, num documentário, pelo humorista Fábio Porchat. A produção será mostrada pelo National Geographic, canal de tevê por assinatura, na noite de sábado. Detalhe: o mogiano e amigo de Mauricio, Luiz Carlos da Cruz, inspirador do Cebolinha – recentemente entrevistado por este jornal – irá participar do documentário junto com familiares do desenhista.

Vacinação

O prefeito Marcus Melo (PSDB) e o secretário de Saúde, Chico Bezerra (PSB), participam da abertura oficial da Campanha Nacional de Vacinação Contra a Gripe 2019. Será hoje, a partir das 8 horas, na UBS da Vila Suíssa, em César. A imunização ocorrerá entre 10 de abril e 13 de maio. Neste ano, a idade das crianças a serem vacinadas será ampliada de 6 meses até 6 anos incompletos.

Na novela

Além de uma das autoras, Duca Rachid, há mais um mogiano em “Órfãos da Terra”, a nova novela das 18h30 da TV Diário. Trata-se do ator Eduardo Mossri, que vive o papel do médico Faruk Murad, que deixa a Síria em busca de trabalho no Brasil. O artista, filho de Myriam e José João Mossri, recebeu convite para participar da novela depois que as autoras Duca e Thelma Guedes assistiram ao monólogo “Cartas Libanesas”, que Eduardo vinha apresentando, no teatro, desde 2015.

Nas redes

A deputada federal de primeiro mandato, Joice Hasselmann (PSL), é a parlamentar paulista mais influente nas redes sociais, segundo o ranking FSBinfluênciaCongresso. O levantamento leva em conta a repercussão das postagens no Facebook, Twitter e Instragran. Eduardo Bolsonaro (PSL) e Kim Kataguiri (DEM) e Marco Feliciano (PODE) vêm em seguida. A lista dos 594 deputados federais traz ainda Marco Bertaiolli (PSD), na 194ª posição; Roberto de Lucena, do PODE (357ª) e Marcio Alvino, do PR (493ª).

Para mim, a humanidade se divide em dois grupos:os que concordam e os equivocados.

Graciliano Ramos (1892-1953), romancista, cronista, contista, jornalista, político e memorialista brasileiro do século XX