CARTAS

Ciúmes e falta de ética

O ministro do Supremo, Gilmar Mendes, parece que tem como desafeto o ex-magistrado que se consagrou com sua implacável atuação na Lava Jato, de Curitiba, e hoje, ministro da Justiça, Sérgio Moro. E, confirmando que a ética não é o seu forte, Gilmar, em entrevista, disse que o presidente Jair Bolsonaro deu uma contribuição importante ao País, ao oferecer a ministério da justiça a Sergio Moro, e, desta forma, afastá-lo da Operação Lava Jato. O que ajudou o País voltar a normalidade… Só se for a tal “normalidade” do libero geral para a volta da corrupção, Gilmar!

Paulo Panossian

paulopanossian@hotmail.com


Deixe seu comentário