SEGURANÇA

Com flexibilização da quarentena, violência volta a subir em Mogi

CENA COMUM Guarda Municipal orienta as pessoas que ainda circulam pela cidade durante a quarentena. (Foto: arquivo)
PERFIL Durante o isolamento mais rígido, ranking dos crimes reduziu na região. (Foto: arquivo)

Os dados divulgados pela Secretaria da Segurança Pública de São Paulo mostram um aumento significativo nas ocorrências de determinados crimes em Mogi das Cruzes de maio para junho. É o caso do estupro, que aumentou em 200% na comparação dos dois meses, indo de quatro registros para 12. Neste primeiro semestre, este tipo de crime aumentou 25% em relação ao mesmo período do ano passado, quando 62 ocorrências foram lavradas. Desta vez, foram 78.

Mensalmente, os dados de estupro são divulgados em duas categorias. Em maio, todos os estupros registrados foram de pessoas vulneráveis, que são aquelas que não têm condições de se defender. Já em junho, foram nove atos cometidos desta forma e outros três estupros.

A lesão corporal dolosa apresentou um aumento de 71,4% nos registros de um mês para outro. Foram 42 em maio e 72 em junho. Ainda assim, os números do primeiro semestre de 2019 foram piores, com um total de 378 boletins de ocorrência. Já neste primeiro semestre foram 255, o que representa uma queda de 32,5%.

No comparativo mensal, houve aumento de 60% nos casos de furto. Foram 135 registrados em maio e outros 216 no último mês. Isso mostra que enquanto em maio foram cerca de quatro ocorrências diárias, no mês seguinte esse número subiu para aproximadamente sete registros lavrados diariamente. Já na comparação entre os primeiros semestres, 2020 teve índices melhores. A queda nos casos registrados foi de 36,4%, com 1.661 nos seis primeiros meses de 2019 e 1.056 desta vez.

Ocorrências Policiais Registradas em Mogi das Cruzes em 2020
Tipo Jan Fev Mar Abr Mai Jun Total
Homicídio Doloso 2 4 1 2 2 4 11
Vítimas em Homicídio Doloso 3 4 1 2 2 4 12
Homicídio Culposo por Acidente de Trânsito 3 2 1 2 4 5 12
Homicídio Culposo – Outros 0 1 0 0 0 0 1
Tentativa de Homicídio 1 3 4 0 1 3 9
Lesão Corporal Seguida de Morte 0 0 1 0 0 0 1
Lesão Corporal Dolosa 53 57 59 44 42 72 255
Lesão Corporal Culposa por Acidente de Trânsito 45 21 29 16 23 22 134
Lesão Corporal Culposa – Outras 15 16 12 11 12 11 66
Estupro 0 3 2 1 0 3 6
Estupro de Vulnerável 8 1 11 3 4 9 27
Roubo 86 79 93 82 92 77 432
Roubo de Veículo 14 15 19 10 15 9 73
Roubo de Carga 1 1 0 3 2 2 7
Furto 328 254 197 142 135 216 1056
Furto de Veículo 71 55 55 50 62 55 293
Fonte: Secretaria da Segurança Pública de São Paulo

Os boletins por roubo apresentaram queda na comparação mensal, com 16,3%. Foram 92 ocorrências lavradas em maio e 77 agora. Uma diminuição ainda maior, de 40%, apareceu nos roubos de veículo, indo de 15 para 9. Este é o melhor número apresentado no ano, que teve em março a maior quantidade de casos, com 19. Em maio e junho os registros de roubo de carga se mantiveram, com dois em cada mês.

Comparando os primeiros semestres de 2019 e 2020, o roubo de cargas foi o único que teve uma pequena piora, já que no ano passado foram três casos. O roubo em geral caiu de 523 para 432 e os roubos de veículo foram de 139 para 73. Esses números seguem as quedas que foram registradas na Grande São Paulo.

A região metropolitana terminou o primeiro semestre do ano com queda em todas as modalidades de roubos e furto. Os roubos em geral recuaram 13,6%, passando de 29.696 para 25.652 na comparação dos primeiros semestres de 2019 e 2020. Já os roubos de veículo caíram 34,6% (de 7.474 para 4.890), atingindo o menor total da série histórica, iniciada em 2001.

No indicador de furto em geral houve redução de 24% na Região, já que a quantidade passou de 34.801 para 26.438. Nos furtos de veículos, que também ficou na menor marca da série, a queda foi de 27,9% (10.904 para 7.865). Em Mogi, a queda nesta última modalidade foi de 15,3%, com 346 registros nos seis primeiros meses de 2019 e 293 agora.


Deixe seu comentário