POSITIVO

Comerciantes mogianos comemoram os resultados das vendas na Black Friday

NAS COSTAS Muitos consumidores circularam pelas ruas com as compras feitas em lojas de redes, que prometem manter as ofertas. (Foto: arquivo)
NAS COSTAS Muitos consumidores circularam pelas ruas com as compras feitas em lojas de redes, que prometem manter as ofertas. (Foto: arquivo)

No último final de semana, milhares de pessoas saíram às ruas para aproveitar os descontos da Black Friday nos mais diversos setores. A Associação Comercial de Mogi das Cruzes (ACMC) e o Sindicato do Comércio Varejista de Mogi e Região do Alto Tietê (Sincomércio) confirmam que a movimentação gerou números “satisfatórios” de vendas, e em alguns casos, acima das expectativas. Otimistas, estes órgãos esperam repetir a dose na campanha de Natal.

Nas palavras da vice-presidente da ACMC, Fádua Sleiman, os comerciantes estão com um “sorriso de orelha a orelha”, já que viram suas lojas cheias não só na sexta-feira, mas também no sábado e no domingo. “As pessoas lotaram a cidade com com listas para comparar os preços, e o movimento faz aumentar nossas esperanças para as vendas do Natal, que antes eram de 4% sobre o ano passado”.

Para Valterli Martinez, presidente do Sincomércio, os resultados puderam ser medidos não somente em números, mas também no “visual”. Segundo ele, a partir da movimentação nos centros de compras foi possível perceber que as vendas foram “satisfatórias”, até mesmo excedendo a previsão para algumas classes de vendas, como “televisões e eletrodomésticos de linha branca”.

De acordo com Martinez as vendas devem seguir ritmo acelerado. “Além da segunda parcela do décimo terceiro salário teremos aumento na liberação do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e isso vai ajudar o comércio. Antes prevíamos 7,4% de aumento sobre o final do ano em relação a 2018, mas se continuar assim pode chegar até 9%”.

Os resultados positivos foram sentidos por comerciantes, como Neuma Bandeira, gerente da Tranzação Modas. Segundo ela, mais do que o vestuário para consumo próprio houve procura por presentes de Natal, principalmente “calças jeans e blusinhas”.

Já Nilton Celestino dos Santos, gerente da loja de utilidades Barracão, revelou que as vendas superaram em cerca de 15% os índices registrados em 2018. “O pessoal comprou de tudo. Tinha até gente que comprou fogão novo em outro lugar e veio comprar as panelas aqui”.


Deixe seu comentário