EDITORIAL

Conquista na saúde

“O acesso à informação é um caminho seguro para favorecer a fiscalização dos gastos públicos”

Recém-lançado, o painel da Saúde do Tribunal de Contas do Estado (TCE) permitirá o acompanhamento dos gastos e da estrutura pública dos hospitais do Sistema Único de Saúde, o SUS. Duas vezes ao ano, a publicação promete atualizar os dados semestrais sobre internações, mortes, leitos e profissionais existentes para o atendimento à população paulista.

Esses dados são públicos, mas o encontro de informações de forma mais prática e rápida facilita e muito a participação popular na fiscalização sobre como os recursos humanos e públicos são aplicados na saúde, o maior bem da vida. É possível, a todo cidadão, ter acesso ao inventário sobre como funcionam esses hospitais.

Na primeira bateria de informações confirma-se o referencial que se tornaram os hospitais das Clínicas Luzia de Pinho Melo, de Mogi das Cruzes, e Geral de Itaquaquecetuba, no Alto Tietê. Mais novos do que o Hospital Dr Osiris Florindo Coelho, em Ferraz de Vasconcelos, os dois estabelecimentos apresentam os mais altos índices de internação.

A pesquisa faz acender sinais de alerta. Com 280 leitos e 8.439 internações de janeiro a junho do ano passado, o Luzia teve uma taxa de mortalidade de 10,94%de pacientes. Já o Regional de Itaquaquecetuba, com 7.123 internações, 244 vagas, teve um índice de 5,45%.

Evidentemente que os dados precisam ser analisados com responsabilidade e tomando como base as especificidades das unidades – o Luzia é referência de alta complexidade para grandes cirurgias, coração e câncer. Recebe, portanto, pacientes em situação mais grave do que outras unidades que, por isso mesmo, apresentam taxas de mortalidade menores.

Promover a transparência e o acesso à informação é um caminho seguro para favorecer a fiscalização dos gastos públicos e do atendimento ao cidadão.


Deixe seu comentário