OBRA

Construção de muro de contenção na Mogi Bertioga está em fase final

SERRA DO MAR Mogi-Bertioga passa por obras desde que começou a sofrer uma série de deslizamentos, em fevereiro do ano passado. (Foto: Eisner Soares)
SERRA DO MAR Mogi-Bertioga passa por obras desde que começou a sofrer uma série de deslizamentos, em fevereiro do ano passado. (Foto: Eisner Soares)

Até o mês de julho devem ser finalizadas a construção de um muro de contenção de concreto no km 86 e a implantação de telas de proteção no km 81 – ambos no trecho de serra da Rodovia Mogi-Bertioga (SP-98) -, com investimento de R$ 1,7 milhão. Essas intervenções são as últimas em andamento realizadas pelo Departamento de Estradas de Rodagem (DER) desde que a principal ligação rodoviária entre Mogi das Cruzes e Bertioga começou a sofrer uma série de deslizamentos, em fevereiro do ano passado.

Além disso, o órgão ressaltou que tem empregado diversas frentes de trabalho para obras de contenção de talude na SP-98, ação que colabora na manutenção da segurança de motoristas e usuários. Ao menos sete muros foram erguidos na via há pouco mais de um ano.

Em março, o superintendente do DER, Paulo Cesar Tagliavini, garantiu à Comissão Especial de Vereadores (CEV) da Câmara de Mogi, criada para pleitear melhorias na via, que ainda este ano a rodovia deve receber mais investimentos do Governo do Estado e novas obras para segurança dos motoristas e melhor fluidez de trânsito nos dois últimos quilômetros, já na chegada a Bertioga. Essa informação também foi dada pelo secretário de Estado de Logística e Transportes, João Octaviano Machado Neto, em entrevista a O Diário. No entanto, como alternativa para reduzir o trânsito na litorânea, caso o pedido do governador João Doria (PSDB) ao Ministério dos Transportes de incluir a SP-98 no processo de concessão da Rodovia Presidente Dutra não seja acatado. A proposta ainda é analisada pela pasta federal.

Paralelamente a isso, a rodovia recebe um estudo geológico, que faz o mapeamento da estrada e que deverá apontar a situação do solo. O levantamento é acompanhado pelo Instituto de Geologia (IG), órgão vinculado à Secretaria de Estado de Meio Ambiente. Durante o andamento da avaliação, serão emitidos relatórios com as informações da situação do solo, para que as medidas já possam ser adotadas, a fim de minimizar os deslizamentos que vêm sendo registrados na rodovia. Ontem, a reportagem de O Diário solicitou ao IG informações sobre os relatórios, mas não obteve resposta.

Um estudo de contingência, que será responsável por indicar as alternativas para o talude da rodovia, está em fase de contratação pelo DER, sem data definida para recebimento de propostas.