DESPEDIDA

Corpo do tabelião Roberto da Silva Pires será sepultado em Mogi

Roberto Pires comandou o Cartório de Notas e foi um dos dirigentes do Clube de Campo. (Foto: Arquivo)
Roberto Pires comandou o Cartório de Notas e foi um dos dirigentes do Clube de Campo. (Foto: Arquivo)

O advogado e cartorário Roberto da Silva Pires, 79 anos, faleceu ontem, no Hospital Ipiranga de Mogi das Cruzes, onde estava internado desde a noite do último domingo. Pires passou mal em sua casa e, com sintomas de dores na parte posterior do pescoço, foi levado pelo filho, o cirurgião-dentista Roberto Pires, até ao hospital onde se confirmou a ocorrência de um acidente vascular cerebral (AVC), que teria sido causado, segundo familiares, por uma leucemia fulminante.

Inicialmente, o derrame atingiu a cabeça e, posteriormente, o pulmão e outros órgãos, devido à queda acentuada no número de plaquetas no sangue. O velório teve início ontem, às 19 horas, no Parque das Oliveiras, mesmo local onde será realizado o enterro, hoje, às 11 horas.

Desde ontem, com as notícias sobre o quadro de saúde do tabelião do 1º Cartório de Notas de Mogi das Cruzes, os amigos lamentavam a notícia. O dentista aposentado Miguel Nagib ficou sem palavras, ao confirmar a perda do amigo de infância.

O desembargador aposentado José Elias Habice Filho disse que mais que um amigo, Pires era um irmão para ele. Eles se conheceram no trabalho, quando Filho era juiz do Fórum local e Pires o escrivão. Os dois trabalharam lado a lado durante nove anos, mas a convivência nunca deixou de existir. “Nos conhecemos graças à profissão, mas depois disso ele foi meu padrinho de casamento. Nós conversávamos muito por telefone, nos encontrávamos sempre que era possível, então, ele vai me fazer muita falta”, disse.

Filho afirma que a morte de Pires foi ainda mais difícil, pelas condições de saúde dele. “Ele estava muito bem e saudável e a forma como tudo aconteceu, repentinamente, choca mais ainda, porque nos pegou completamente de surpresa. São 44 anos de amizade e eu nunca vou esquecer o quanto ele era uma pessoa leal e companheira. Acho que dentre todas suas qualidades, essas eram as melhores”, destacou.

Filho de Maria da Penha e Francisco da Silva Pires, Roberto Pires faz parte de uma das mais tradicionais família da Cidade. Além do trabalho à frente de Cartório de Notas, era participante atuante de iniciativas sociais como a Instituição Anna de Moura.

Também foi presidente do Clube de Campo de Mogi das Cruzes (CCMC) – do qual era associado desde 13 de outubro de 1977 e atualmente sócio benemérito e conselheiro vitalício do Conselho Deliberativo – entre os anos de 1993 e 1997 e de 1999 a 2003.

Ele deixa a mulher Maria Aparecida Hardt Pires, os filhos Roberto e Denise e os netos Luísa, Roberto Neto e Francisco.


Deixe seu comentário