'NOS PRÓXIMOS MESES'

CPTM promete acabar de vez com baldeações em Guaianases na linha 11

Secretário garante que nos próximos meses, o expresso leste irá circular entre luz e estudantes em todos os horários. (Foto: Henrique Campos)
Secretário garante que nos próximos meses, o expresso leste irá circular entre luz e estudantes em todos os horários. (Foto: Henrique Campos)

Eram nove horas e quatro minutos quando o trem Expresso Leste chegou ontem à Estação Mogi das Cruzes. Ele partira minutos antes da Estudantes para o percurso que representou o início das viagens entre o Alto Tietê e Capital sem a baldeação em Guaianases. A partir de agora, entre 9 e 15 horas, de segunda a sexta-feira, e em todas as partidas aos finais de semana, o usuário não precisará fazer a troca das composições no meio do caminho. O secretário de Estado dos Transportes Metropolitanos, Alexandre Baldy, garantiu que nos próximos meses a viagem do Expresso Leste deverá ser ampliada a todas as partidas.

Mogi e Região esperam as viagens diretas, sem a troca de trens em Guaianases, há mais de duas décadas, quando o Expresso Leste começou a circular na Linha 11-Coral. Esse trajeto atende cerca de 200 mil passageiros por dia. A partir de agora, serão 120 viagens sem a baldeação, mas não nos horários de pico durante a manhã e à tarde. A baldeação é insegura, desconfortável, e de alto risco para idosos e crianças nos momentos de maior superlotação.

Na manhã de ontem, Alexandre Baldy esteve ao lado do presidente da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), Pedro Moro e demais políticos (leia mais nesta página) para dar início à operação do Expresso Leste, com parte das viagens sem parada entre Mogi e São Paulo. Baldy lembrou que o Expresso Leste é um desejo da população do Alto Tietê há muitos anos, e o governador João Doria solicitou a ele que o realizasse tão logo quanto pudesse, porque era um compromisso com a população.

No entanto, Baldy destacou que é necessário que haja responsabilidade na instalação do novo sistema, para que ele obtenha êxito, sobretudo em atingir o horário de pico. “Iniciamos no horário de menor demanda, para que toda a regularização e os reconhecimentos necessários sejam de forma responsável. Colocaremos a população do Alto Tietê com o serviço em todos os horários, o que deverá ocorrer em alguns meses. Acredito que agora, ele sendo implementado nestes horários e aos finais de semana, nós acreditamos que nos próximos meses estará em sua plenitude”, pontuou.

Ainda há indefinições sobre a operação no futuro. Um exemplo disso é quanto à baldeação em Suzano, uma medida não descartada pelo secretário. Ele explicou que a implementação ocorrerá em diversas fases, mas com o objetivo de atender a demanda de cada estação. “Os estudos de cada fase serão essenciais para responder de forma objetiva. Ainda não há definições concretas sobre quais serão as alterações e mudanças necessárias. É importante dizer que ele é uma realidade desde já e será na plenitude dentro dos próximos meses”, destacou.

Em relação a essa primeira etapa, Moro explicou que o teste será sobretudo para avaliar a rede de energia, porque a companhia já sabe que em alguns trechos, o sistema deverá ser melhorado para atender o Expresso Leste em todos os horários. “Não seria desejável iniciarmos a operação sem fazer todos os testes e sem a garantia que todos os serviços seriam prestados. Vamos fazer teste de distribuição de energia da linha, temos alguns pontos específicos de energia que precisam melhorar para a operação ser feita nos horários de pico”, destacou.

Sem prazo
Na apresentação dos novos horários do Expresso Leste, os responsáveis pelo sistema ferroviário estadual não trouxeram notícias sobre quando a CPTM pretende iniciar as obras no conjunto de estações de Mogi (Jundiapeba, Braz Cubas, Mogi e Estudantes). Desde 2016, quando foi entregue a nova estação de Suzano, os mogianos aguardam o início das obras que irá adaptar e modernizar as estruturas às demais da Região Leste de São Paulo. Tanto Baldy quanto Moro não deram prazo para o fim da análise do projeto. Moro explicou que as cancelas de Mogi fazem parte deste estudo, e que ele deverá mostrar uma alternativa para solucionar o problema. “Tivemos um problema orçamentário há alguns anos e, desde então, o projeto estava parado, mas foi retomado no ano passado. Agora, ele é retomado e, até então, acho que não terá alteração”, disse.

Deputados esperam reforma das estações
O deputado federal Marco Bertaiolli (PSD) explica que até meados deste ano, o Expresso Leste irá circular em todos os horários entre as estações Luz e Estudantes, no entanto, a grande complexidade do sistema exige que este processo ocorra gradativamente. “A baldeação em Guaianases vai acabar totalmente e não há mais o projeto para que ela ocorra em Suzano. Mas é preciso treinar e capacitar os trabalhadores, fazer os investimentos na energização porque os trens novos têm ar-condicionado e exigem mais energia, e analisar o comportamento e quantos usuários há por estação. O governador João Doria já determinou que os investimentos fossem feitos, a CPTM realizou os testes em janeiro e a primeira etapa foi colocada em prática hoje (ontem), com o Expresso Leste das 9 às 17 horas de segunda a sexta-feira e em todos os horários aos finais de semana”, destacou.

Segundo o parlamentar, outra reivindicação que será atendida em breve pelo Estado é a construção da nova Estação Mogi para interligação com o Terminal Central de ônibus e a reforma e ampliação das estações Braz Cubas e Estudantes. “Com as obras das estações e, no futuro, a reforma e retomada da Estação César de Souza, e o Expresso Leste em todos os horários, teremos o metrô de superfície circulando na cidade”, completou.

Para o prefeito Marcus Melo (PSDB) a mudança é um presente aos passageiros, já que era um sonho antigo. “Existe um estudo ainda muito aprofundado que precisa ser feito em relação à parte elétrica, mas o momento é de agradecer ao governador que neste primeiro mês de trabalho já trouxe essa novidade”, avaliou.

Mas, ainda segundo Melo, a movimentação em busca da modernização da Estação Mogi continua. “Eles sabem que é um pedido justo da cidade, porque temos um projeto de interligar o terminal de ônibus com a estação. Estamos conversando com a CPTM sobre isso e o projeto executivo está sendo realizado”, garantiu.

O deputado estadual Marcos Damásio (PR) também lembrou que a solicitação é antiga, visto o transtorno dos passageiros da Região que precisavam descer em Guaianases para a baldeação entre as composições. “Estamos felizes e agradecidos ao governador. Foi uma resposta muito rápida, porque sempre tinha o entrave técnico por conta das cancelas e vimos que é uma questão de vontade política para fazer as coisas”, enfatizou.

Luiz Carlos Gondim (PTB) lembrou que foi o governador Mario Covas que retirou os antigos trens espanhóis e iniciou esse sistema com o trem expresso, porque é uma forma também de oferecer atendimento mais humanizado ao trabalhador. “Hoje, nessa baldeação, você não entra no trem, você é jogado para dentro dele. É preciso dar um atendimento digno à população nestas 160 viagens de ida e volta por dia, garantindo mais conforto e agilidade aos usuários transporte”, destacou. Ele defende ainda ampliação da linha até o distrito de César de Souza.

O deputado estadual Estevam Galvão (DEM) destaco o trabalho do governador João Doria, que em pouco mais de um mês realizou a ampliação dos horários do Expresso Leste. “Na semana passada, ele aprovou também a isenção do ICMS aos produtores rurais, e agora ele tem consciência de que o trabalho é a mola propulsora da economia. A qualidade do Expresso Leste é de um metrô de superfície”, pontuou. (Colaborou Carla Olivo)