Damásio: “Aqui não tem Boy; a decisão vai ser do Diretório”


Ao final de uma reunião realizada ontem entre o deputado Marcos Damásio e integrantes da bancada do PR ficou acertado que o vereador Sadao Sakai não irá abrir mão de sua candidatura a presidente da Câmara de Mogi na eleição para a Mesa Diretora, marcada para 10 de dezembro. Mesmo sabendo que o seu concorrente direto, vereador Mauro Araújo (PMDB), tem o compromisso de voto assinado por 16 vereadores do Legislativo, estando, portanto, com a eleição praticamente assegurada. O objetivo de tal medida será, segundo Damásio, “marcar a posição do partido”, mesmo que isso possa resultar num desgaste político desnecessário para Sakai, que também participou do encontro. A reunião praticamente definiu a posição do partido favorável ao lançamento da candidatura de Marcos Damásio a prefeito de Mogi nas próximas eleições. “Vamos aguardar até o ano que vem para a decisão final”, disse o deputado, lembrando que falta pouco mais de um mês para o término deste ano. Questionado se esperava a vinda do ex-deputado Valdemar Costa Neto para a batida do martelo, Damásio foi eloquente: “O Boy está fora de tudo isso aí. A visão dele não está voltada para Mogi, mas para as questões nacionais do partido. A decisão local será do Diretório”, afirmou Damásio, garantindo que tal posição já teria anunciada por Costa Neto ao prefeito Marco Bertaiolli (PSD). “A cada 15 dias, o Bertaiolli visita o Boy em Brasília”, fez questão de dizer o deputado, que emendou: “Aqui não tem Márcio Alvino, não tem André do Prado, não tem Boy. A decisão não cabe a ele. Nós vamos discutir, decidir e ele, logicamente, vai assinar em baixo”. Indagado se, com tudo isso, sua candidatura estava decidida, Damásio respondeu: “Vamos anunciar oficialmente no momento determinado. Os candidatos a vereador entendem que temos de disputar a Prefeitura. Eu ainda não fiz, mas se fizer uma reunião com os 35 pré-candidatos à Câmara, tenho certeza de que eles serão 100% a favor do lançamento de um candidato a prefeito. E eu sou um soldado do partido”,  concluiu.

COTIDIANO

FRASE

Hoje, na democracia brasileira, qualquer um é livre para usar a mídia que quiser para dizer o que quiser. O mais difícil é encontrar quem ouça.

Nelson Motta é jornalista, escritor, produtor e crítico musical