A CENA SE REPETE

De novo, Mogi-Bertioga tem feriado marcado pelo congestionamento

Rodovia costuma ficar congestionada nos finais de semana e feriados prolongados.. (Foto: Arquivo)
Motorista enfrentou até três horas de viagem para retornar do litoral. (Foto: Arquivo)

Mais uma vez, a Mogi-Bertioga (SP 098) voltou a congestionar entre o final e o início do ano. Os veículos em excesso contribuíram para essa situação, mas apesar de o Departamento de Estradas de Rodagem (DER) garantir que adotou a faixa reversível durante os dias 27, 28 e 29 de dezembro para minimizar os impactos da descida, a volta foi complicada para o motorista, que chegou a gastar mais de três horas para andar pouco mais de 40 quilômetros. Esse cenário de congestionamento ocorre enquanto a rodovia é assunto de concessão do governo do estado, que já divulgou em audiência pública em Mogi que ela não será duplicada em toda a extensão.

Entre a sexta-feira e o feriado de ano-novo, de acordo com o DER, foram realizados 437 atendimentos via telefone pela Central de Operações e Informações referentes à SP 098. Na rodovia, as viaturas da Unidade Básica de Atendimento realizaram 208 atendimentos. Esses números ainda são parciais, porque a operação Ano Novo termina apenas no domingo.

No trecho do Alto Tietê de rodovia Presidente Dutra, o número de acidentes aumentou consideravelmente durante os seis dias de operação de ano-novo 2020, em relação aos cinco dias de 2019, de um para quatro acidentes. No entanto, o número de feridos reduziu de dois para um, e sem vítimas fatais nos dois períodos.

Ainda durante a operação deste ano, nos 402 quilômetros da Presidente Dutra, entre São Paulo e o Rio de Janeiro a CCR NovaDutra, concessionária responsável pela via, realizou 2.222 atendimentos entre zero hora de sexta-feira (27) e a meia-noite de anteontem. Do total, 49% (1.094 atendimentos) correspondem a pane mecânica do veículo. Na segunda e terceira colocação, aparecem ocorrências de pneu furado (265 atendimentos) e falta dew combustível (99 atendimentos). Por último vieram o superaquecimento do motor (93), bateria descarregada (45) pane elétrica (43).

Já nas praças de pedágio da rodovia Ayrton Senna, em Guararema e Itaquaquecetuba, passaram mais de 880 mil veículos. O balanço divulgado pela Ecopistas, concessionária que administra a via, no Alto Tietê foram contabilizaram 10 acidentes, sendo uma vítima faltal, três moderadas e quatro leves.

Em todo o corredor formando pela Ayrton Senna e Carvalho Pinto, entre 27 de dezembro de 2019 e 1º de janeiro de 2020, 1,343 milhões de veículos passaram pelas quatro praças de pedágio nos dois sentidos.

O pico do volume de tráfego em direção ao interior foi registrado na sexta-feira das 10h às 11h. Já na volta para São Paulo, o movimento foi mais intenso na quarta-feira (1º) entre 16h e 17h.


Deixe seu comentário