EDITORIAL

Debatendo a reciclagem

A Associação Comercial e Industrial de Mogi das Cruzes foi sede, no início desta semana, de uma importante reunião para tratar da ampliação da reciclagem de resíduos sólidos pelos lojistas. Juntos, representantes da entidade juntamente com proprietários de bares, lanchonetes e restaurantes, e do Departamento de Limpeza Pública da Prefeitura Municipal buscaram soluções práticas para conscientização dos comerciantes a respeito do tema.

O objetivo era colaborar com o meio ambiente e reduzir as despesas atuais com a coleta, transporte e destinação dos resíduos produzidos pelos estabelecimentos do centro e bairros de Mogi.

Segundo a Prefeitura, existe a necessidade de aumentar a separação de materiais recicláveis, em especial os de vidros, já que estaria havendo resistência de alguns bares, lanchonetes e restaurantes no momento de efetuarem a separação dessas garrafas, com sérios riscos para os coletores e também para o meio ambiente. A adoção de um sistema específico de recolhimento das garrafas, às segundas-férias, entre 17 e 19 horas, não funcionou e, por isso mesmo, estuda-se a mudança para o sábado ou domingo.

E é justamente na discussão mais aprofundada de assuntos como esse que está o mérito principal do encontro que deverá ser repetido até que uma solução definitiva para o impasse seja encontrada. Questões como a reciclagem, apesar de muito debatidas na teoria, sempre encontram resistências ou dificuldades para serem colocadas em prática.

Nem sempre aquilo que se apresenta como a melhor solução para um problema acaba sendo viável no momento de ser executada. E o melhor caminho para se aparar arestas é justamente aquele baseado no diálogo aberto, onde a troca de opiniões ajuda a conduzir à melhor solução para questões desse tipo.

O certo é que o aumento da reciclagem do lixo urbano é um desafio a ser vencido pela Cidade, por meio do diálogo e do incentivo às práticas saudáveis se separação dos dejetos, de maneira a facilitar o reaproveitamento de materiais e, ao mesmo tempo, reduzir a elevada carga de lixo que o município é obrigado a tratar, pagando um elevado preço por isso.

O que vem acontecendo entre comerciantes e a Prefeitura é um bom exemplo a ser adotado por outros setores da Cidade. E cabe justamente ao Departamento de Limpeza Pública estimular esse debate para que mais segmentos da comunidade venham a aderir ao projeto de reciclagem do lixo.

Direcionar o estímulo para grupos específicos da sociedade mogiana pode ser a fórmula ideal para se obter a conscientização em torno da participação cada dia maior em torno dessa proposta. Que novos encontros venham ampliar a discussão em torno da reciclagem. Algo moderno e que se torna cada dia mais indispensável a uma Cidade da importância de Mogi das Cruzes.