ARTIGO

Deixe seu celular em casa

Não é uma ordem, mas um conselho: deixe seu telefone celular em casa. Faça um teste e constate a dependência que temos por esses aparelhos que regem as nossas vidas. Isso já foi até pesquisado. Levantamento do Ibope Conecta, divulgado há pouco tempo, mostra que dos dois mil internautas que participaram da pesquisa, 52% não conseguem ficar um dia inteiro sem usar o smartphone.

Calma porque há dados mais alarmantes. Também foi apontado que 8% das pessoas conseguem ficar sem usar o celular por apenas uma hora e 15% não desconectam nem por um segundo. São muitos números, certo? Pois é. Mostra o quanto a nossa sociedade se transforma cada vez mais naquela retratada em “Black Mirror”, por exemplo. Se não assistiu, fica a dica para entender o impacto da tecnologia nas relações humanas talvez em um futuro não muito distante.

O que mais chama a atenção é que a tendência é de que os celulares se tornem uma extensão de nós. Temos soluções e formas de resolver problemas na palma das mãos. Pedimos comida, conversamos, consultamos e fazemos transferências bancárias, compramos passagens aéreas, ouvimos música e namoramos por aplicativos. Estamos ilhados em nós mesmos.

Por mais que o celular seja ferramenta de trabalho para muitos de nós, ele não pode ser a única base. Existe uma vida fora da tela com nossos pais, avós e amigos.

Já experimentou ir naquele restaurante que você gosta sem fazer uma foto para o story do Instagram? Já tentou sair para correr no parque sem ter a companhia da sua playlist no Spotify? São medidas simples que vão te ajudar lá na frente com a sua saúde mental. Confesso que faço muitas coisas que aqui apontei com o meu celular. Mas é um processo de desvinculação e que já foi iniciado de minha parte.

Quando a ficha cai e você percebe que o celular ocupa um espaço muito além do necessário, é hora de parar e traçar um novo trajeto (e não estou falando para você usar o Waze). Tente fazer diferente e observe os resultados. Boa sorte, qualquer coisa, chame.

Lucas Meloni é jornalista