Delegado pede prisão preventiva de enteado suspeito de matar e enterrar padrasto

Corpo do padrasto foi enterrado no quintal da casa onde morava com o enteado. (Foto: Divulgação)
Corpo do padrasto foi enterrado no quintal da casa onde morava com o enteado. (Foto: Divulgação)

O delegado titular César Donizeti Benedicto, do 4º Distrito Policial, afirmou, na tarde de ontem, que vai enviar hoje à Justiça de Mogi o pedido de prisão temporária em desfavor do balconista Alexandre André Menezes Cardoso Souza, de 42 anos. Ele foi capturado nesta terça-feira pelo sargento Gilson Tadeu Moreira e o cabo João Lopes de Souza, da 2ª Cia, do 17º BPM/M, depois de ser descoberto que o suspeito na tarde de sábado asfixiou e matou a pauladas o padrasto dele, Genivaldo José de Jesus, de 54 anos, no sítio de propriedade da vítima, na Estrada Das Esmeraldas, em Jundiapeba.

Um terceiro suspeito, cuja identidade não foi revelada, está sendo investigado. A briga teria sido provocada por causa de dinheiro. Após consumar o homicídio, Alexandre enterrou o corpo da vítima. No local, o delegado César Donizeti determinou que a Polícia Científica realizasse a perícia para ajudar no inquérito policial.

A polícia apurou que Alexandre já era um bandido procurado por roubo. “Ele era foragido da Penitenciária de Mongaguá, no Litoral Sul”, destacou a autoridade. Por esse motivo, o criminoso foi removido à Cadeia de Mogi e seria levado ao Centro de Detenção Provisória, no Bairro do Taboão.