CONFRONTO DA PM

Delegado vai apurar como tiro atingiu mulher em Mogi

Projétil perfurou para-brisa de carro e atingiu Jéssica. (Foto: Eisner Soares)
Projétil perfurou para-brisa de carro e atingiu estudante. (Foto: Eisner Soares)

Mais do que apurar se houve excesso na ocorrência de homicídio simples em decorrência de intervenção policial que aconteceu, na tarde desta terça-feira, na Rua Gonçalo Ferreira, na Ponte Grande, o delegado Rubens José Angelo, titular do Setor de Homicídios de Mogi das Cruzes disse a O Diário que também vai esclarecer a circunstância em que Jéssica Aparecida Francisco de Souza, 28 anos, solteira, mordora no Conjunto Residencial do Bosque, foi atingida na face por uma bala perdida que atravessou o para-brisa do Corsa Wind que ocupava.

A ação policial ocorreu quando a tenente da PM Beatriz Marandola Colentuano, de 33 anos, foi tentar conter Marcelo Nogueira, de 48 anos, morador do local. Ele teria sofrido um surto nervoso, estaria armado com uma faca e atirando pedras para todos os lados.

Segundo consta no Boletim de Ocorrência registrado por determinação do delegado Fabrício Intelizano, na Central de Flagrantes, do Distrito Central de Mogi, que os policial em patrulhamento de rotina “constataram que Marcelo estava completamente alterado e pediram apoio, momento em que os ocupantes da viatura desembarcaram. A tenente Marandola sacou da arma de choque e atirou, mas Marcelo se desviou do dardo e desferiu golpe de faca que atingiu o pescoço da oficial. Ela caiu e ele partiu para cima dela, sendo que naquele momento os policiais Renato Sponda, Rafael Adriano e Alex Aparecido atiraram e contiveram o agressor que foi baleado e morreu.