INTERVENÇÕES

DER admite que entrega das obras de duplicação na Mogi-Dutra pode atrasar

AVALIAÇÃO Ao percorrer o trecho em obras na Mogi-Dutra, a reportagem constatou que há muito a avançar em alguns pontos. (Foto: Natan Lira)
AVALIAÇÃO Ao percorrer o trecho em obras na Mogi-Dutra, a reportagem constatou que há muito a avançar em alguns pontos. (Foto: Natan Lira)28

Quem transita pela rodovia Mogi-Dutra (SP 088), entre o entrocamento com a Ayrton Senna e a cidade de Arujá, verifica uma situação: é praticamente impossível que os 7,5 quilômetros deste trecho sejam entregues duplicados em menos de dois meses – prazo do Departamento de Estradas de Rodagem para a conclusão das intervenções, que iniciaram com nove meses de atraso – praticamente 1/3 dos 24 meses determinados pelo governo do estado, a partir de janeiro de 2018. Apesar de manter essa data, pela primeira vez o órgão reconheceu que poderá sofrer atrasos. “Em função ainda da necessidade de remoção de rede elétrica e tubulação de gás, do tempo aguardado para a obtenção de licenças ambientais e desapropriações, o DE (Departamento de Engenharia) não descarta possíveis aditivos de prazo”, informou a O Diário.

Na manhã de anteontem, a reportagem de O Diário percorreu toda a extensão da rodovia. Há locais já com a pista aberta e no asfalto, mas, em outros casos, falta o trabalho inicial de abertura das novas faixas, como acontece no trecho de um quilômetro entre a rotatória da rodovia Presidente Dutra e a Estrada dos Índios, em Arujá..

O motorista que acessa a rodovia em Arujá e segue no sentido Mogi das Cruzes começa a ver as intervenções a partir do km 33, onde parte da pista começa a ser aberta no morro. Neste ponto também terá uma passarela para os pedestres, que ainda não está montada.

Mais à frente, já ganhou visibilidade o início de um viaduto, bem como o trabalho de terraplanagem já finalizado e a pista está aberta até a curva acentuada onde foi realizada uma série de detonação de rochas, de onde saíram aproximadamente 70 mil toneladas de pedras. Segundo o DER, não há previsão de novas detonações.

Na altura da saída para a Estrada Municipal, no km 35, a obra está bastante avançada, com máquinas e caminhões fazendo os ajustes na terraplanagem da pista, inclusive com parte do trecho concretado, que é utilizado como marca para receber a pista que sai do viaduto. No trecho também será construído um retorno. Em seguida, o motorista se depara com a curva conhecida como “da morte”, em que a pista também está aberta na lateral direita.

No km 37, onde está prevista a instalação do posto de pesagem, as novas faixas já estão implantadas ao lado direito, para quem segue rumo a Mogi. Por lá, máquinas e caminhões trabalham. Já no km 38 e 39, os trabalhos também estão concentrados na abertura do acesso ao bairro do Taboão e do viaduto que será implantado no local. A pista por lá está aberta e recebendo asfalto.

O DER destacou em nota enviada à reportagem de O Diário que são realizados serviços de terraplenagem; drenagem; implantação de canaletas, guias, sarjetas, calçadas, da camada de base da pavimentação; plantio de grama em taludes, entre outros. “Já foram concluídos os serviços de montagem de vigas, lançamento da viga do km 38,5, implantação de barreiras de concreto nos viadutos, lajes de aproximação, drenagem dos ramos dos dispositivos de acesso e cerceamento de todas as áreas desapropriadas. O DER ainda aguarda a remoção de interferências (rede elétrica, linhas de tubos de gás, água e esgoto) em um trecho de aproximadamente um quilômetro”, destacou.

Duplicação do trecho totaliza investimento de R$ 121,9 mi

O projeto contempla a duplicação entre os quilômetros 32 e 39, com implantação de barreiras de concreto que dividirão as faixas. Serão construídos dois viadutos para acesso, ambos no km 32, além das passarelas nos quilômetros 33, 35, 37 e 38. A pista também precisará de trabalhos de iluminação e sinalização.

A obra é financiada pelo Banco Mundial – Banco Internacional para Reconstrução e Desenvolvimento (Bird) e executada pelo Consórcio Construcap Copasa. O investimento é de R$ 121,9 milhões.

A duplicação deste trecho da rodovia é aguardada desde 2005, quando a primeira parte foi entregue. A promessa de que a obra seria duplicada foi feita em 2010, mas o primeiro anúncio ocorreu em abril de 2014 e, na época, o investimento seria de R$ 149 milhões. A licitação chegou a ser aberta com previsão de início dos trabalhos em junho do mesmo ano, o que não aconteceu. Em novembro de 2015, o edital foi revogado pelo Estado para a atualização de valores. O processo foi retomado apenas em 2017.


Deixe seu comentário