Dificuldades à vista na campanha eleitoral

Lideranças partidárias da Cidade já começam a sentir as dificuldades que terão pela frente na futura campanha eleitoral deste final de ano. Os problemas estão surgindo a partir dos primeiros contatos dos partidos com os cabos eleitorais, em busca de apoio para seus candidatos. O impacto inicial dessas conversas tem sido especialmente complicado para muitos deles. Afinal, seus principais interlocutores, aqueles que se autointitulam “líderes de bairro”, estão prontos para aceitar o trabalho em favor de um ou outro candidato, desde que passem a receber por isso, a partir de agora. E o valor tem assustado a muita gente. Os tais “líderes” estariam pedindo para receber entre R$ 1 mil e R$ 1,5 mil mensais, valores que podem se elevar ainda mais dependendo da concorrência entre os candidatos em determinados locais da Cidade. E quem são esses “líderes”, capazes de negociar tais valores, mesmo ao arrepio da legislação eleitoral vigente? Geralmente são pessoas que estão à frente de diferentes entidades de bairro, as quais servem como indutoras de programas sociais governamentais, como a distribuição de leite ou outros benefícios que aproximam tais dirigentes da comunidade carente de diferentes localidades da Cidade. Alguns dirigentes partidários têm demonstrado certa estupefação diante da voracidade desses cabos eleitorais, num momento em que os candidatos não possuem sequer o cadastro eleitoral, exigência legal para a contabilização de gastos de campanha e também para que possam receber doações de recursos. Como contabilizar algo ilegal, como a compra de votos, é outra dor de cabeça para os artífices das candidaturas de numa eleição onde as regras são bem mais restritivas que as anteriores. A preocupação é geral, especialmente entre os candidatos a vereador, que já temem o encarecimento absurdo da campanha por parte de alguns que estariam dispostos a inflacionar o mercado. E pensar que tudo isso nem começou oficialmente…

Equipe
Além do marqueteiro Felipe Soutello, a equipe do prefeiturável Junji Abe (PSD) para a próxima campanha já está sendo estruturada. Segundo fontes bem informadas, o vereador Olimpio Tomiyama (PSC) deverá atuar como coordenador geral, enquanto José Luiz Freire de Almeida irá cuidar do setor operacional. Já a chave de cofre deverá ficar, mais uma vez, nas mãos Elias Tomé da Silva Pires, tesoureiro das duas primeiras campanhas vitoriosas de Junji.

Demissão
Desde sexta-feira da semana passada, Aroldo da Costa Saraiva não é mais o secretário municipal de Saúde da Prefeitura Municipal de Campos do Jordão, no Vale do Paraíba, onde se encontrava desde meados do ano passado. Desentendimentos com o prefeito da Cidade teriam provocado tal afastamento. Para os que não se recordam, Aroldo foi o todo-poderoso secretário da segunda gestão de Junji Abe na Prefeitura de Mogi.

Mudanças
O casal de educadores Roberto e Beatriz Lobo, agora vivendo nos Estados Unidos, está trocando Miami por Boston. Os dois vão trabalhar em uma empresa americana especializada em educação e inovação, atuando com a meta de estreitar relações com instituições educacionais latinoamericanas, em especial do Brasil, com uma região que concentra o maior número das melhores universidades e faculdades do mundo, de todos os tamanhos e características. Roberto e Beatriz chegam amanhã ao Brasil, onde permanecerão até 15 de junho.

Nova direção
O DEM, agora sob o comando do vereador Marcos Furlan, já definiu os demais integrantes de seu Diretório Municipal em Mogi. Além de Furlan, o presidente, compõem a direção o vice Rogério Dirks; o secretário Alvarindo Souza; e Renan Gouveia, como tesoureiro. O partido oficializou a nova Executiva em recente convenção municipal e já prepara uma chapa completa de candidatos a vereador para as próximas eleições. “Em um período de 15 dias, 328 pessoas se filiaram ao DEM”, jactou-se o presidente no evento.

COTIDIANO

 No coquetel de apresentação da Casa da Odontologia, na Capital, Alckmin pediu um cafezinho com açúcar; Miyake, diabético, ficou no adoçante / Foto: Divulgação
No coquetel de apresentação da Casa da Odontologia, na Capital, Alckmin pediu um cafezinho com açúcar; Miyake, diabético, ficou no adoçante / Foto: Divulgação

FRASE

O resultado político e eleitoral do PT e da esquerda nas eleições são elementos importantes da disputa municipal.

Resolução do Diretório Nacional do PT sobre as eleições municipais deste ano, indicando como deverão atuar seus aliados